segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Bendito (SQN) Chronos!

Por Donizete Vieira

Na mitologia grega, Chronos é o deus do tempo que não possuía em mínimo grau o instinto paterno, pois devorava seus próprios filhos para evitar que um dia crescidos eles não viessem a conspirar contra ele, usurpando-lhe o trono. (É o que reza uma das versões sobre Chronos)

O caráter destrutivo do tempo tem conexão com esse mito. 

Rememoramos com nostalgia eventos do passado. O presente é inexoravelmente isso que se nos apresenta sem tirar nem pôr. O futuro? bem, a ideia de que o futuro será a soma daquilo que construímos e planejamos é tão incerta que gostaríamos que o ritmo do tempo acelerasse para acabar de vez com a apreensão natural face ao desconhecido.

Todas as vezes que olhamos no espelho, chronos ali está representado pelos traços físicos característicos de quem sofre sensíveis influências degenerativas do tique-taque do relógio ou da areia que escorre pelo orifício da ampulheta. Usar a expressão "momento divino" é quase uma redundância.

Chronos é  implacável. Não adianta adorá-lo ou amaldiçoá-lo. Ele estará sempre indiferente à tudo que ocorre em nosso tempo.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...