sexta-feira, 18 de junho de 2010

Confissões de um "aborto" ao Mestre Jesus.

No seu passado obscuro de promiscuidade ela havia feito um aborto. Corajosa e decidida, tomou a iniciativa de entrar na casa de Simão, o fariseu para cuidar gentilmente do Mestre. A mesa estava farta de alimentos, ao redor os fariseus. Ela tinha o desejo de sussurrar no ouvido dEle, sentia uma culpa profunda do passado.

Ela estava por detrás de Jesus, levantou a cabeça em direção ao seu ouvido e sussurrou: “Mestre, confesso ter transado com um filho de Sacerdote e ter engravidado do mesmo. Como, para tal solução, resolvemos procurar uma clínica de aborto.”

Cheio de emoção e arrependimento. “Ela chorava e as suas lágrimas molhavam os pés dEle. Os cabelos estavam ensopados, na tentativa de enxugar os pés do Mestre. 

Tremula, continuou... “Mestre... Realizaram o procedimento sem maiores problemas físicos, mas, mal sabia que o pior estaria por vir. Toda noite antes de dormir a partir do dia em que o aborto me aconteceu, ouvia o choro de um recém nascido. E anos a fio fiquei ouvindo esse grito de desespero. Por vezes me levantava da cama sobressaltada procurando o filho que eu tinha matado”.

As gotas deslizaram no seu rosto... As seqüelas pós-aborto não foram apenas físicas, mas mentais também. No momento que os olhos deram descanso às lágrimas, ela pegou o alabastro e ungiu os pés do Mestre. Na seqüência, beijou-os sem cessar.   

O fariseu Simão não entendeu nada e pensava: “Ela não é a Maria Madalena, a prostituta?... Será que o mestre sabe com quem está conversando?”

Então o Mestre se virou para a mulher e disse a Simão: “Você está vendo esta mulher? Quando entrei, você não me ofereceu água para lavar os pés, porém ela os lavou com as suas lágrimas e os enxugou com os seus cabelos. Você não me beijou quando cheguei; ela, porém, não para de beijar os meus pés desde que entrei. Você não pôs azeite perfumado na minha cabeça, porém ela derramou perfume nos meus pés. Eu afirmo a você, então, que o grande amor que ela mostrou prova que os seus muitos pecados já foram perdoados. Mas onde pouco é perdoado, pouco amor é mostrado.”

O Mestre olha para a mulher e diz: “Perdoados são os teus pecados.” Os que estavam com ele à mesa começaram a dizer entre si: “Quem é este que até perdoa pecados?” Mas Jesus continuou a dizer a mulher: “A tua fé te salvou; vai-te em paz.”

No encontro com Jesus, ela recupera a harmonia interior e entra em um processo de crescimento e amadurecimento pessoal até atingir a plenitude do seu ser na experiência pascal.  Simão fica boquiaberto pelo fato do Mestre dar ouvido a uma pecadora e perdoá-la do aborto e prostituição. Sobre este assunto, o Mestre tem um ponto de vista diferenciado dos demais...

Textos baseados: Lucas: 7.36-50; Lucas: 8.2; Marcos: 16.9.

Autoria do texto: Hubner Braz
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...