segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Biblicamente Falando... Existe Espirito Humano?

“Lembra-te do teu criador nos dias da tua mocidade, antes que... (contexto deve ser acoplado ao que aponto aqui)... E o pó volte a terra como era, e o espírito a Deus que o deu...” 

Eclesiastes 12:1 e 7

Estávamos estudando "cristologia" e surgiu uma pergunta interessante sobre a encarnação de Cristo. Perguntaram se ao chegarmos ao paraíso encontraremos dois "Jesus", o que possuía o espirito humano e o que possuía o espirito divino. Nem preciso dizer que isso causou um rebuliço na sala de aula kkkkkkkk Mas confesso que foi uma pergunta interessante e perspicaz... E agora??? Existe um "espirito humano"??? É óbvio que se trata de um assunto teológico e que para alguns aqui, pouco importa isso. Mas gostaria de ler as opiniões dos eruditos confrades que por aqui transitam e emitem seus tratados. Abaixo listo as argumentações bíblicas que encontrei, e que me respaldaram a emitir uma posição sobre o assunto, mesmo sendo contrariado por praticamente toda a classe.

  1. As escrituras afirmam e contribuem para a manutenção da ideia de tricotomia do ser humano em relação a sua composição. Somos corpo, alma e espírito (I Tessalonicenses 5:23 e Hebreus 4:12), cada qual com uma origem, função e um destino especifico. Com base nisto, a sentença que cito acima me fornece condições lógicas de afirmar que a expressão “espírito humano” é apenas uma força de expressão não tendo existência no campo teológico e filosófico por deficiências etimológicas e também por não se enquadrar na lógica racional das escrituras. Posso como força de expressão afirmar que o espírito é humano, somente se estiver me referindo à posse, ou seja, o “espírito é humano por estar no humano”. Afinal, o ser humano nada pode criar de si mesmo, e sendo assim, tanto Cristo como nós mesmos não possuímos um “espírito humano”, e sim um “espírito divino”. Por isso ele, o espírito esta pronto (Mateus 26:41) como bem disse Jesus, e no momento da morte ele retorna a Deus como pontuou o autor de Eclesiastes (Eclesiastes 3:7).
  2. A pré-existência de Cristo (João 1:1, Hebreus 1:2 e I Pedro 1:20) o dota de espírito, o qual anula qualquer possibilidade de que Deus o dê outro espírito. Sendo assim, fica simples de se compreender que Cristo apenas recebe corpo e alma ao vir a terra, considerando já ter o espírito divino em si. Logo, a ideia de que haja dois espíritos, ou que Jesus recebeu um ao nascer, é antibíblica devido a sua pré-existência.
  3. A diferença do que é apresentado nestas linhas em relação ao que Apolinario afirmou nos primeiros séculos da igreja se dá pela confusão que se faz etimologicamente entre os termos “espirito e alma”, fazendo relação a posição de mente/coração. Sendo que o termo mais apropriado para definirmos como mente seria a alma e ele utiliza espírito, pois é na alma que se concentram todas as emoções, sentimentos e desejos do ser humano (Provérbios 4:23), e que pela lógica e pela ciência corresponde a mente. Pois se a mente fosse definida pelo espírito, ele (espírito) jamais estaria pronto (Mateus 26:41), e sim em constante transformação, sendo sujeito a enganos e erros (Jeremias 17:9 e Romanos 12:2).
  4. Sendo assim, minha defesa é esta, “que Cristo ao se tornar Verbo Encarnado em Jesus, ele recebe um corpo para que haja materialização humana, e uma alma para que nela sejam lançados os pecados da humanidade e assim cumprir a sua missão de redenção, não recebendo um espírito, por já possuir o mesmo, o qual foi dado por Deus como a todos os homens”.

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...