sexta-feira, 4 de março de 2011

Ateu X Crente (repente)

Me disseram que você
Acredita até em Deus
E não podes entender
Como pensam os ateus
É por isso que os seus filhos
São mais burros que os meus

Sou ateu graças a Deus!


Você diz que os meus filhos
São mais burros que os teus
Podem até ser burros mesmos
Mas verão ao nosso Deus
Já os teus vão para inferno
O lugar de todo ateu


Sou ateu graças a Deus!

Todo ateu vai pro inferno
E o crente vai pro céu?
E nos tempos de inverno
Tem até papai Noel
Tu navegas no oceano
Num barquinho de papel


Sou ateu graças a Deus!

Tá dizendo que eu sou besta?
Me chamando de fanático?
Mas talvez você esteja
Sendo muito, muito prático
Quero agora que perceba
Que crente não é lunático


Sou ateu graças a Deus!

Não preciso perceber
Que você é um tapado
Não consegue nem viver
Se esquivando do pecado
Sua vida é se esconder
Do tridente do Diabo

Sou ateu graças a Deus!


Do tridente não me escondo
Pois tem anjo a meu favor
Outro dia eu tive um sonho
Que era um filme de terror
Eu vi tu correr pelado
Clamando ao redentor


Sou ateu graças a Deus!

Só em sonho tu vais ver
Eu clamando a Jeová
E no dia em que eu morrer
Não irei pra outro lugar
Toquem fogo no meu corpo
Depois atirem no mar

Sou ateu Graças a Deus!


No mar eu atirarei
Suas cinzas com prazer
E no juízo eu verei
Sua alma se foder
Queimarás no fogo eterno
Sem chance de arrepender


Sou ateu graças a Deus!

Minh'alma no fogo ardente?
E a sua onde estará?
Vivendo como um zumbi
Nos braços de Jeová?
Prefiro a aniquilação
Do que não raciocinar

Sou ateu graças a Deus!


Toda sua erudição
De nada adiantará
Porque na tribulação
Não adianta chorar
Pois todo filho do cão
Jesus despedaçará


Sou ateu graças a Deus!

Seu Jesus é muito mau
Sanguinário e violento
Parece até o pai dele
Do antigo testamento
Matou até o seu filho
Por causa de um juramento

Sou ateu graças a Deus!


Seu ateu filho da puta
Para de me perturbar
Senão eu chamo por Deus
Pra poder te arrebentar
Pois saiba que a minha luta
É a guerra de Jeová


Sou ateu graças a Deus!

Seu deusinho não existe
Será que você é cego?
O Deus que tu acreditas
É o mesmo deus que eu nego
Não passa de um fantasma
Criado pelo seu ego

Sou ateu graças a Deus!


Eu desisto de tentar
Encaminhá-lo a salvação
Por mim tu vai se lascar
Nas garras do cramunhão
Será atirado no lago
Depois da ressurreição


Sou ateu graças a Deus!

Eu desejo que você
Um dia seja acordado
Espero que não esteja
Muito velho e acabado
Pois verá tudo que tinhas
Mas não foi aproveitado


Sou ateu graças a Deus!

Edson Moura



149 comentários:

  1. O teu repente caro amigo
    Vai dar muito o que falar
    Até ontem falávamos
    Do verbo SER e o ESTAR
    Dizíamos que nunca SOMOS
    Como errantes sempre ESTAMOS.


    Nosso ser ambivalente
    Precisa de uma afirmação
    Pra negá-la frontalmente.
    Responda-me de coração:
    Quem existiu primeiramente
    Foi Deus ou foi o Cristão?


    Foi devido à exploração
    De um nobre sentimento
    Que forjaram essa unção
    Com capa de Livramento
    Deram o nome – Religião
    Para expulsar o tormento.


    Uma coisa, porém entendo
    Está no Velho Testamento
    A proibição do: “EU SOU”
    Veio dar-me um certo alento
    Enquanto de dia estou Ateu
    De noite eu sonho com Deus.


    Chegou o Edson na blogosfera
    Com repentes melindrosos.
    Para atiçar as muitas feras
    Com seus versos extremosos
    Vai esquentar a atmosfera
    E deixar a muitos nervosos.



    P.S: Edson, caramba, o teu cordel está arretado (como diz o nordestino quando quer elogiar) - kkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Meu amadíssimo Edson, quanto conflito querido, como você vivencia uma constante inquisição.
    Como ocupar tua mente com um deus tirano te tem feito tanto mal. Deixa este monstro viver com os que acreditam nele e procura conhecer o Deus que é puro amor, puro compaixão. Viver Ele é tão lindo, tão prazeroso.
    Um beijo para você e muita paz.

    ResponderExcluir
  3. Levi, algo me dizia que você seria um dos primeiros a comentar, e não errei. Teu cordel também tá arretado (e não pense que eu não uso esse termo aqui em São Paulo rss)

    O repente acima exposto tem a intenção não só de fazer rir, mas também de fazer refletir. Note que procurei mostrar que muitas vezes o criostão é que é intolerante com as "des-crenças" dos ateus. (não estou generalizando, pois, tem mais ateu ranzinza do que crente)

    Outra questão que o repente expõe é a da negligência com que muitos vivem, valorizando as "perseguições", aflições, tribulações e ofenças em detrimento às maravilhosas da vida.

    Se me batem na face, o que me cabe é revidar para que o ato agressivo não se torne um vício contumaz.

    Jogar os agressores nas mãos de Deus nada mais é do que suplantar o desejo de vingança (ou justiça) que é tão comum ao ser humano.

    Adorei seu cordel mestre!

    ResponderExcluir
  4. Guiomar minha santa, quem foi que disse que Deus é puro amor? Jesus? Paulo? João?

    Guiomar, não vivo numa constante inquisição, não de forma literal.

    Onde está o amor quando se é mandado para o inferno?

    Onde está o amor, quando as portas do céu são batidas em sua cara?

    Onde está o amor "incondicional", quando ele está condicionado à servidão?

    Se Deus existisse e fosse puro amor Guiomar, ele não precisaria sujeitar o homem a um processo seletivo tão acirrado, onde muitos são chamados e poucos escolhidos.

    Deus, mesmo este da psique humana, não é bom pois se fosse, acabaria com a dor agora.

    Deus, mesmo este criado pela hamanidade, não é nada poderoso, se fosse, acabaria com o mal.

    Mas talvez esse Deus imaginário seja mesmo bom, e até quer acabar com o mal, mas por não ter poder, não consegue.

    Ou talvez, este Deus seja mesmo poderoso, mas por ser mau, não quer acabar com o sofrimento.

    O prazer está justamente em não servir a Deus Guiomar, e não o contrário. Nenhuma servidão é prazeirosa, acredite.

    Guiomar minha linda, sei que contra sua fé eu jamais terei êxito, mas não me custa tentar acordá-la para a vida. Assim como me sugere que creia em deus, eu lhe rogo que o despreze, valorize sua potencialidade de ser grande, não se julgue protegida por forças místicas, pois, desta manira, estás tirando um mérito que é só teu.

    Não divida sua glória com ninguém, seja uma super mulher, auto-suficiente, e plenamente consciente de que estamos sós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Edson. Realmente entendo vc achar que Deus é cruel por criar um lugar para atormentar os que não lhe seguem. Bom se isto fosse verdade realmente teria que concordar que tipo de deus é este?...bom mas se vc me permite vou lhe explicar algo. Se vc verificar a palavra inferno não se refere a um lugar literal de tormento eterno como as igrejas pregam. A palavra hebraica she'óhl e seu equivalente em grego haídes não se refere a um lugar de tormento, mas significa a sepultura comum da humanidade. Salmos 146:4 diz que sai lhe o espirito ( nosso folego de vida, não algo que sai do corpo que outra mentira ensinada) ele volta ao seu solo; neste dia perecem deveras os seus pensamentos"...Este texto deixa claro que quanos , ali o ser humano deixa de existir.
      Nãvai para uma punição ou para um tormento eterno como a maioria das religiões ensinam.Jó em 14:13 orou : " Quem me dera isto: que me protegesses no inferno...." ( bom, o proprio Deus disse que Jó era um homem inculpe e reto, jó 1:8 , por qual razão jó pediria para ir a um lugar ser atormentado eternamente? Mas a palavra seol é apenas morte, e jó então se referia devido ao sofrimento, que desejava morrer.. Esta confusão da tradução foi devido o erro dos primitivos tradutores da bíblia, terem traduzidos petsistentemente o termo hebraico Seol E os termos gregos Hades e Geena pela palavra inferno. Assim a simples transliteração destas palavras causou um grande conflito. O sentido de torrento eterno em apocalipse 14:9-11 / 20:20 é muito confuso para quem desconhece a traduçao da palavra Seol que foi substituida por inferno..se formos ver Judas 7 ali fala q sodoma e gomorra sofreria pena de fogo eterno. Mas pense, o fogo que destruiu Sodoma e gomorra cessou já de arder há milhares de anos. O efeito sim tem sido furadouro, essas cidades não foram reconstruidas. Assim a destruição pode ser considerada eterna..Assim como esta mentira, há inumeras outras como natal, que se considera nascimento de cristo, mas a data fixada 25 debro foi p cristianizar ra cristianizar uma data pagã, uma festa mitraica que celebrava o nascimento do deus sol,a saturnalia em roma e os cultos solares. A ideia era central das missas de natal revelam claramente esta origem. A data de nascimentode cristo não é conhecida, mas a igreja estava perdendo deptos, e perdendo seu poder e para atrair fieis, ela adotou a data "aceitando os pagãos...assim como outra farsa da cruz, uma palavra em latim cruxe...q nem mesmo consta na biblia. Porque a biblua não foi escrita em latim. Mas em grego aramaico e hebraico.A tradução original é stau-ros que devidamente é um piste reto e sua tradução é madeiro ou poste reto.Assim como xýlon é um madeiro reto. Assim os tradutores nem se derem ao trabalho de explicar que a cruz nao era o significado primario nos dias dos apostolos, mas seu uso foi muito depois disto. A forma da cruz teve sua origem na caldeia e era usadacomo simbolo do deus tamuz tendo a forma do Tau mistico a letra inicial do seu nome. As igrejas tinham se apartado por volta do 3· seculo a.de a fim de aumentar seu prestigio no sistema eclesiastico apóstata, aceitavam-se pagãos e seus costumes e seus simbolos como havia falado, sobre e as festividades. Assim foi adotado o T com a peça transversal abaixada um pouco para representar a cruz de cristo. ( voce pode ler mais sobre , em um livro chamado Expository dictionary of new testament words / 1962 pela editora Vine na pag 256. Ou no google mesmo Edson. Assim todas estas conflitam com o que realmente a biblia fala distaciando as pessoas de Deus. Eu estudo a bíblia com as Testemunhas de Jeová e tenho aprendido cada vez a mensagealreal d da b Edson voce pode acessar um site que voce pode obter muitas informações sinceras e livre de doutrinas que há tantos anos aprisiona o homem ou ter informações com uma Testemunha de Jeová que bater em sua porta. Mas o site é jw.org Se vc desejar conversar mais não exite em falar comigo. Até.- Marcelle

      Excluir
    2. Desculpe por minha escrita ter saído comida e errada. Estou envergonhada.
      Mas no celular é horrível para mim. Até

      Excluir
  5. Entrei só para tirar o chapéu, para a resposta do Edson à Gui.

    O deus cristão não ama ninguém, ele é um ser mesquinho que só quer servidão. É como um tarado que sequestra uma criança e a faz escrava, obrigando-a a amá-lo, sob a pena de ser torturada eternamente. Se isto é amor, imagina o que é ódio?

    Não há amor com inferno, escravidão, servidão eterna. Amor não é obrigado, é conquistado. E o deus cristão está longe de merecê-lo.

    ResponderExcluir
  6. Biel, valeu pela rápida passagem. suas anologias são espetaculares, lembro de uma vez que, ao falar do livre arbítrio, você disse o seguinte:

    "O livre arbítrio do crente é mais ou menos assim. Um maníaco aponta o revolver na cabeça de uma garota e diz: Ou você me deixa te estipar ou dou-lhe um tiro na cabeça"...você é livre pra escolher!.

    Abraços Gabriel.

    ResponderExcluir
  7. Madonna! Tem 5 online! Aproveita pra comentar agora gente, pois daqui a pouquinho vou sair pra escola e não terei mais tempo de responder!

    ResponderExcluir
  8. Edson Moura, tenho um texto pronto dssertando sobre de quem é o mérito. O seu penúltimo parágrafo do comentário dirigido a Guiomar dá uma prévia.

    Gabriel Nagib, não precisa ser tão cruel. Cristão algum suporta este impacto.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Fizeste desafio do crente contra o ateu
    Mas você não foi sincero
    Algum erro cometeu
    Fizeste do pobre crente uma caricatura idiota
    E do ateu inteligente quase poliglota
    Acorda, meu amigo, você está ultrapassado
    na filosofia pós moderna eu digo prá você
    A crítica ateísta da fé é filosoficamente demodê.

    ResponderExcluir
  10. engraçado, ontem você deu piti por que a conversa entrou na religião, e agora...

    ResponderExcluir
  11. Altamirando, vou esperar pela sua postagem sobre o mérito, pelo pouco que o conheço, deve ser uma nova bomba na blogosfera.

    Outra coisa, como notei que não colocaste seu característico "he he he", acho que estás falando sério com o Gabriel. E se estiver mesmo, eu terei que discordar.

    Acho que já passou da hora de sermos "cruéis" (realistas) com o público cristão. Quanto ao fato de os cristãos mnão suportarem o impacto, eu já concordo. Isto fica bem claro ao noptarmos que apenas o Hubner e a Guiomar dão a cara pra bater aqui na Confraria. A maioria dos Cristãos que lêem estes textos, ou comentam como anônimos, apenas ofendendo o autor, ou sequer comentam.

    Toda ousadia propagada por Paulo e Pedro se perdeu na história. O crente hoje não passa de um covarde difarçado de estóico, ou seja, jogam tudo para as costas largas de Deus e não defendem aquilo em que crêem. (crêem mesmo?)

    Abraços Altamirando!

    ResponderExcluir
  12. "A maioria dos Cristãos que lêem estes textos, ou comentam como anônimos, apenas ofendendo o autor, ou sequer comentam. "

    ora, meu amigo, deixa de ser parcial; você escreve um cordel com a figura de um cristão idiota boca suja e reclama quando os cristãos "ofendem" a vocês?

    quem quer respeito dá respeito. se quer guerrinha de ideologia, vamos pro pau!!! como diz o coisa do quarteto fantástico!!! kkkkkkkkakaa

    ResponderExcluir
  13. Eduardo meu Capitão, eu dei piti mesmo rsss, mas não pela religião em si, esta eu adoro afrontar.

    Minha "ira santa" foi porque o tema deveria enfatizar o homem atual e sua mutação em relação ao século presente. mas o que acabou acontecendo foi que falou-se muito de mito, ficção, utopia, lenda e esqueceu-se o real, razão, empírico, fato.

    Abraços Edu!

    ResponderExcluir
  14. Engano seu se acha que eu estou reclamando das ofensas dos cristãos Edu. Só se tem "guerra" se existir um adversário à altura, e como bem sabes, até hoje não apareceu um sequer. Portanto, o que você chama de guerrinha, não passará de um massacre e a vitória será minha certamente.rsss

    Agora que dei uma provocadinha até pode ser que apareça algum corajoso por aqui, e vai ser aquele velho lenga lenga de: Está escrito na Bíblia, Jesus fez isso ou fez aquilo.

    Quero ver um que tenha colhões para debater no chão da existência e não no céu das ilusões.

    Vamo pro pau!

    ResponderExcluir
  15. Toda guerra, tem o lado "bom" e o lado "mau". "O reino (em que se batem Senhor e súditos)está dentro de nós". Esta citação está lá nos evangelhos. Resta a nós levá-la para explicar os nossos afetos ambivalentes internos.

    Esquenta não Edu, o velho amigo e poeta Edson sabe que toda essa guerra que, faz do homem um ser paradoxal, se passa num palco interno denominado PSIQUE.

    Já dizia o Grande Horácio:

    "Mais na mente que no corpo jazem minhas dores/Tudo que me prejudica com alegria eu busco/Tudo que me faz bem com horror eu vejo."

    ResponderExcluir
  16. Edson Moura, eu não falei sério com o Gabriel, apesar de reiterar seus argumentos.A minha opinião é praticamente a mesma, só que eu não acinto o cristão com tanta crueldade. Na C.P.F.G., só dois corajosos dão as caras para o ateu bater; Apesar da coragem da Guiomar, ela é indefesa sozinha. Diferente do Hubner, que já demonstrou que sua gaiola começou a se abrir. Sem falar no Eduardo Medeiros que é um mutante e tem argumentos para se defender, não obstante qual lado esteja.
    Que bata, mas assopre!

    ResponderExcluir
  17. Exato Levi, embora eu não tenha captado o âmago da sua fala.rsss

    Quanto ao fato de a guerra ser contra nossos afetos ambivalentes internos, procuro subjugá-los à medida em que me conheço melhor. Quando sabemos contra quem estamos lutando, a batalha se torna mais fácil.

    A "maleficidade" está em não aceitar que a oscilação intermitente que se dá em nosso interior existe, e muitos engessam-se num só pensamento que é. "sou isso" ou "sou assim", esquecendo-se que no profundo de suas mais viscerais crenças, uma força contrária equivalente tenta furar o bloqueio criado por sua própria consciência.

    estae por sua vez, vivem em conflitos constantes, o que não é meu caso. Há muito que por saber que posso mudar repentinamente de ideia, não me esforço para acreditar no que quero, mais sim no que estou hoje.

    Abraços mestre.

    Ps. Vou tentar compreeender o que escrevi agora!rss

    ResponderExcluir
  18. êpa, a gui e o hubinho não estão sós pois cá estou eu, com minha armadura de bronze e cavalo branco, apto a defendê-los de qualquer argumentação pseudo-abarcador-de-toda-a-realidade.

    altamirando macedo, não foi a carne e o sangue que te revelou que sou um mutante apto a defender tanto teístas devotos quanto ateus pretenciosos,pois como já falei antes, esse debate entre ateus e teístas na filosofia pós moderna está demodê.

    é claro que o levi também está ao lada dos fracos e oprimidos pela religião-que-teima-em-dizer-que-não-e-religião e que tem a missão única messiânica na terra de acabar com a religião. dos outros.

    edson, você se esqueceu que a religião da bíblia é uma religião muito mais imanente do que transcendente?

    primeiro veio o drama existencial da vida humana "aqui e agora"; o "lá e além" só vieram depois como aspiração utópica e esperançosa de que o sistema daqui e do agora fosse transformados pelos "modus operandi" do lá e além.

    o cenário para o drama bíblico não é o céu mas a terra. logo, debater no "chão da existência" é tudo o que um cristão "bom de briga" quer. tipo assim, eu...rssssss

    ResponderExcluir
  19. Altamirando, não se engane meu bom amigo, o Hubinho é mais crente sozinho do que o rodrigo, a Guiomar e o Edu juntos. Gosto muito de todos eles, mas o Hubner só usa-nos para fortalecer sua arte sofista na igreja. Já debati por dias seguidos com ele,e no final percebi que meu veneno ateu é inócuo quando o Hubinho é vítima.

    Já a Guiomar é todo coração e duvido que um ateu ame mais uma pessoa do que eu à Guiomar, mas às vezes ela estrapola e eu dou umas cacetadinhas nela.

    O Edu, pela vasta experiêmcia religiosa pela qual passou, não se vê no direito de ser ateu, estaria mais enquadrado como místico que como crente-mutante.

    O Rodrigo, de todos é o que mais me apetece debater, embora ele use constamentemente a Sagrada Escritura, têm potencial para me enfrentar no campo das idéias. Tudo isso como bons amigos, crentes e ateus.

    Pronto, já assoprei...

    Posso bater denovo? rss

    ResponderExcluir
  20. Edu, demodê está é o termo que acabaste de usar.

    Mas sabes bem que o chão da existência é o "aqui e agora" e não o "lá e além".

    Discordo também da sua afirmação que a religião da Bíblia é mais imanente que transcendente. O fato de acreditar que Jesus veio aqui, e pisou neste chão terráqueo prometendo mundos e fundos para o além-lá, só corrobora com a minha afirmação de que a batalha religiosa está no céu e não no chão.

    ResponderExcluir
  21. Edson


    O que falta a muita gente é o exercício da releitura sobre o que escreveram os fundamentalistas do passado.

    Por exemplo: Paulo aos Efésios cita uma certa luta que ele experimentava dentro de sua psique, quando atribuía “ os lugares celestiais a algo fora do corpo (Efésios 6: 12).
    Ora, isso, hoje, não tem mais graça, pois todos nós sabemos, que essa luta contra as poderosíssimas forças espirituais nos “lugares celestiais”, são os conflitos psíquicos entre desejos e instintos. Alma, corpo e espírito tem seu paralelo na psicologia profunda: “Ego – Superego e Id.

    O fundamentalista se perde na literalidade bíblica quando pensa, por exemplo, que o “trigo” da parábola feita por Cristo é o “crente”, e o “joio” é o “incrédulo” (rsrsrs), quando sabemos perfeitamente que joio e trigo são metáforas de nossos afetos internos.

    O que caracterizou Cristo (se é que ele foi humano) foi essa inconstância ambivalente do “querer e não poder”: “ora me comporto como "trigo", ora me apresento como joio”.

    O fundamentalista pensa que céu e
    inferno
    são instâncias externas, quando na verdade essas metáforas (Ceu e Inferno) são arquétipos psíquicos que nos dão equilíbrio para entender a nós mesmos e aos outros.

    Essas ondas celestiais e infernais vivem em nós num “indo e vai infinito”. “É como uma onda no mar” – como diz o Grande Apóstolo da modernidade, Lulu Santos.

    ResponderExcluir
  22. demodê está demodê? tá bom, então eu refaço: o teu pensamento crítico que coloca fé e ciência/razão/ateísmo em campos opostos ficou empoeirado desde o século xix; você precisa conhecer a filosofia pragmática pós moderna. melhorou?

    você dizer que

    "O fato de acreditar que Jesus veio aqui, e pisou neste chão terráqueo prometendo mundos e fundos para o além-lá, só corrobora com a minha afirmação de que a batalha religiosa está no céu e não no chão. "

    você diz isso por que não conhece teologia bíblica(ou parece que não conhece); como eu disse, o pensamento bíblico original é o da imanência, é de deus conversando com adam nos jardins ao entardecer(por favor, você consegue ler essa frase sem repetir a lenga-lenga crítica conta o fundamentalismo que você aprendeu na ebd e que hoje tem ojeriza?); o transcendente só dá as caras bem depois. e por incrível que pareça, o cristianismo brasileiro hoje está bem mais imanente que transcendente. ninguám mais que ir pro céu não, a realização pessoal é para aqui e agora mesmo.

    a missão de jesus era ensinar para a vida: " olhai os lírios do campo"; "um homem tinha cem ovelhas..."; "um homem comprou um campo..."; "...o que tens preparado para quem será?".

    a mensagem de jesus é para a existência na realidade do reino de deus(que levi interpreta como o inconsciente sem problemas para a teologia, creio) mas que era entendido pelo judeu do século primeiro como uma realidade terrena onde a vontade de deus seria feita como no céu. lembra-se do pai nosso?

    "bem aventurados os pacificadores por que herdarão a TERRA"...

    ResponderExcluir
  23. Leví, muito bem explicitada a questão da ambivalência. A psicologia explica quase tudo que parece inexplicável não é?rss

    ResponderExcluir
  24. Eduardo Medeiros, pra quê tanto floreio cara?

    A filosofia pragmática que você citou, deveria, (mas não faz), nos dar garantias reais de que aprendemos com os erros.

    Edu, só podemos esperar que nossos herdeiros não sejam vítimas dos mesmos erros que nós, mas, ao meu ver, você permitirá que o Eduardinho seja vítima dos laços da fé no nada.

    O que valida uma crença, segundo o pragmatismo clássico, não são explanações belíssimas sobre o passado heróico de um homem, que nos faz aceitar, passíveis, a realidade crua em que vivemos. Mas a verdade é que isto pode até ter acontecido no passado, mas hoje não! Não vejo efeitos práticos salutares causados pela, ou melhor, por, qualquer religião atual.

    Somos afrontados constantemente pela realidade, por vezes tediosa e angustiante, da qual tentamos escapar por meio de filosofias baratas, dogmas religiosos e auto-ajuda, e o pragmatismo só pode oferecer em troca uma existência mais criativa, num oceano de possibilidades, ou seja, o nada também.

    Abraços capitão!

    ResponderExcluir
  25. Por onde andam Hubner e Guiomar?
    Estão esperando que o Edson perca a vontade de bater,... de novo?

    Eduardo Medeiros, você quis ser mas não pensou que foi. He, he, he.. Defender alguém com um cavalo branco igual a Napoleão que só era "Bonaparte" de traz?
    A C.P.F.G. me revelou que você e o Levi não batem, só assopram. Você na terra e o Levi nas alterosas.
    O Edson disse que o Hubner peca. Você, Eduardo, finge que castiga e o levi finge que perdoa.
    E eu, aqui,...finjo que critico. Pois, pois..

    Para qual lado se direciona o assunto?

    ResponderExcluir
  26. O assunto Altamirando é: "O Edson é o ateu mais engraçado da blogosfera", bate forte como uma "marreta" filosófica, mas nem arranha a "bigorna" religiosa. E todos pensam que o Edson é do mal, mas ele é do bem, e com bom humor, tentará estirpar a fé alheia.

    ResponderExcluir
  27. Altamirando, estou aqui vocês são rápidos demais e eu tenho um montão de gente que chega já já aqui em casa para o feriadão. Tô é feliz. Bom feriadão para você. Beijo.

    ResponderExcluir
  28. Anjo sem asa, você ama me agredir rsrs

    "Entrei só para tirar o chapéu, para a resposta do Edson à Gui".

    No caso da minha resposta ao Altamirando sobre cientistas vc pegou o bonde andando e disse que eu estava confundindo alho c bugalho, mas eu te amo assim mesmo.
    Beijão pra tu.

    ResponderExcluir
  29. Edsinho, obrigada por me amar, mas pra falar a verdade, você está retribuindo rsrs

    Meu querido, eu não discuto teologia acadêmica ou mesmo devocional, isto eu deixo para o Edu que é meu mestre, até porque não tenho cacife para isto. Falar bonito, tem um montão de gente falando, alguns apóstatas como você,rsrs um tá de Paulo Brabo,(esse foi crente?) Ruben Alves, etc etc.

    Teoria é teoria. Eu leio, leio um bocado, infelizmente não sou tão inteligente e ainda mais você já sabe do problema da minha cabeça, que infelizmente evoluiu, mas não me impede de ser feliz.

    ResponderExcluir
  30. Onde está o amor quando se é mandado para o inferno?

    Onde está o amor, quando as portas do céu são batidas em sua cara?

    Onde está o amor "incondicional", quando ele está condicionado à servidão?

    O amor não é estúpido. Porque Deus nos ama de verdade é que Ele indicou o caminho para o céu e deu regras. Ele conhece o homem melhor que eu e você e sabe o que seria o céu se fosse uma continuação da terra. Ele entregou o planeta ao homem, veja o que fizemos dele...
    Ele não está mandando ninguém para o inferno, cada um escolhe o caminho que deseja seguir.

    Se você não tivesse dúvida a este respeito, não falaria com tanta revolta.

    "Se Deus existisse e fosse puro amor Guiomar, ele não precisaria sujeitar o homem a um processo seletivo tão acirrado, onde muitos são chamados e poucos escolhidos"

    Deus não nos chamou para a escravidão e sim para a liberdade. Eu creio querido, que você vivenciou e viu muita gente vivendo um evangelho de escravidão, de medo, de uma obediência barganhada e não de um relacionamento sadio, paterno, amigável.

    Sou coração Edsinho, gosto das minhas experiências com Deus. Já vivenciei coisas incríveis com Ele e vivencio no dia a dia. Tenho provas inequívocas do seu amor e bondade. Tenho respostas fantásticas. Não me desvalorizo como você pensa, tenho parceria com Deus. Conheço os meus limites humanos e sei quando preciso do sobrenatural. Não vivo em um mundo de fantasias, sofro choro, me angustio e me revolto com o sofrimento humano.
    Procuro colaborar com os outros sempre que posso e muitas vezes além da minha capacidade emocional e física, mas não me acho a tal por isto, é meu dever servir ao meu próximo, mas faço com amor e prefiro fazer assim.
    O que não suporto é me fazer a vítima, a coitadinha sofredora, gosto de gargalhar, de alegria, passo por cima da dor mais rápido possível. Sou tão fanática da alegria que danço sozinha em casa. Amo a vida, apesar dos dissabores.

    "Não divida sua glória com ninguém, seja uma super mulher, auto-suficiente, e plenamente consciente de que estamos sós".

    Deus não precisa da minha glória, a dEle é dEle a minha é minha. Se você percebe, na bíblia, Ele tinha prazer em evidenciar a glória dos homens que realmente a tinham.

    Eu estou feliz em amá-Lo e digo como Pedro: Para quem iremos nós Senhor, se só Tu tens palavras de vida eterna?

    Beijaço pra tu.

    ResponderExcluir
  31. Altamirando

    Bater no outro que está em mim é gostar de ser penalizado duplamente, é masoquismo, desde que se entenda que cada um de nós vive no seio de um duplo “eu”.

    Aí vem aquela velha história do “bode expiatório”... ou “da GENI” — versão moderna das projeções de nossos recalques, que o irmão Chico Buarque, divinamente inspirado, ressignificou. (rsrsrs)

    ResponderExcluir
  32. Noreda amado,

    Não confunda religiosidade com espiritualidade. Ele jamais poderá arranhar a bigorna onde é forjado verdadeiros metais.

    A religiosidade vive de teorias e dogmas humanos a espiritualidade de experiências transcendentais palpáveis.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  33. Gui,

    Não tenho a intenção, e nunca tive, de agredir você, mesmo verbalmente. Aqui estou debatendo idéias. Não leve para o lado pessoal.

    Por vezes sou ríspido ao responder, sim. Idéias às vezes vem mansamente, às vezes são duras, mas quando as coloco aqui, por mais ríspidas que sejam, saiba que elas sairam de minha mente como um susurro.

    Meu desprezo e rispidês são quanto ao deus cristão, a idéias que considero erradas, a tentativas dos religiosos de querer forçar um país a seguir as leis de um livro imoral, com uma ética torta. Não respeito idéias, pois idéias não devem ser respeitada, idéias devem ser debatidas. Pessoas devem ser respeitadas independente de quais idéias sigam. Este é um fundamento da liberdade de expressão. Temos o direito de expor quaisquer idéias, e combater quaisquer idéias.

    Eu não desprezo pessoas como você. Não mesmo. Amo gente que crê no deus cristão, e não discuto com elas estes assuntos. Principalmente por quê elas não querem discutir isso, e não gosto de invadir suas crenças. Eu sei que isto não as torna melhores ou piores, e as amo independente disto. Não é isto que me faz amá-las.

    Desprezo outro tipo de pessoas: pastores,padres, teólogos que passam uma vida inteira estudando sobre suas religiões, e não tem a capacidade de aprenderem nada de bom com elas. Pelo contrário, assumem a característica do deus rancoroso e julgador, além do próprio diabo, e vivem de extorquir tanto emocionalmente quanto financeiramente seus seguidores. Estes são seres desprezíveis, que em nada contribuem para melhorar a vida destas pessoas. Não desprezo todo religioso, pois como disse, isso não os define à priori. O problema é quem se define pela religião que segue, e é capaz de toda sorte de maldade por não ter a capacidade de julgar a ética de suas ações, pois só sabem seguir o que um livro confuso diz. É gente capaz de apedrejar uma mulher (tanto moralmente quanto fisicamente), pois seu livro estúpido diz que isso é normal.

    Meu desprezo não é pela mulher apedrejada que acreditava naquele mesmo deus. Ela era um ser humano como qualquer outro, com seus medos e desejos, e que, por questões culturais, acreditava naqueles que fora ensinada. Mas seus líderes, estes sim, são seres desprezíveis, pois praticam a maldade que querem sob a esfínge da autoridade divina.

    Há religiosos que dedicam sua vida a seus mitos, e fazem coisas boas, tornam-se verdadeiros "anjos" da bondade, e isso independe de qual religião sigam. O que eu diria à Madre Tereza? discussão alguma teria com ela, pois não faria o menor sentido. Ela poderia acreditar em duendes verdes de Marte, que continuaria sendo a pessoa que foi.

    Saiba que, se nos conhecêssemos pessoalmente, você dificilmente saberia que sou ateu. Muitos dos que conheço até hoje não sabem, pois não saio por aí fazendo propaganda de mim, e não atazano ninguém com isso. Cansei disso quando era evangélico, e achava que podia corrigir todo mundo. Hoje aceito as pessoas independente de suas falhas, amo-as independente de seus problemas e crenças. Por mim, meus amigos poderiam fazer oferendas aos orixás na minha cozinha que não me incomodariam. Ao contrário do que a igreja me ensinou a vida toda, não se mede o caráter de alguém pela sua religião.

    ResponderExcluir
  34. Guiomar, sua fala é confusa:

    "...O amor não é estúpido. Porque Deus nos ama de verdade é que Ele indicou o caminho para o céu e deu regras. Ele conhece o homem melhor que eu e você e sabe o que seria o céu se fosse uma continuação da terra. Ele entregou o planeta ao homem, veja o que fizemos dele...
    Ele não está mandando ninguém para o inferno, cada um escolhe o caminho que deseja seguir..."

    Guiomar, Deus não conhece o homem (caramba, eu falo como se ele existisse), o homem é que, por se conhecer, forjou um Deus com suas características físicas, e personalidade.

    Deus é vingativo porque o homem vingativo.

    Deus ama sua criatura, porque o homem ama aquilo que cria.

    Entender que Deus existe em nossa Psique mas não existe fora dela, é a coisa mais difícil para um a pessoa.

    Todos sabemos que Zeus não existe.
    Todos entendemos que Thor é fruto da imaginação dos nórdicos

    Iemanjá também é uma criação humana, assim como o espírito do Dr. Fritz.

    Mas quando o assunto é Deus, o criador de tudo, o único, aí ninguém aceita.

    Guiomar, eu jamais dou o pontapé inicial numa discussão religiosa, teológica ou filosófica. Só que quando eu declaro em público que sou ateu, posso sentir minha pele borbulhar, queimada pelos olhares cristãos.

    O Gabriel está certo em ter amigos crentes, eu tambpem tenho muitos, aliás, todos eles são crentes. Não tenho um amigo ateu sequer. Acreditem, nem o Marcio é ateu.

    A diferença é que eu posso aceitar esta situação, bem diferente dos meus amigos, que querem por que querem que eu a ceite a Jesus como meu salvador.

    Entenderam?

    O crente nunca, jamais, never, vai aceitar o pensamento de um ateu. Você sabe que estou falando a verdade Guiomar.

    Já o ateu, assim como eu, ou até o Gabriel, até dizemos que o deus dos crentes existe para eles, e que podemos conviver com essas diferenças, ou seja, aceitamos a forma de pensar do cristão, mas ele não aceita a nossa.

    O cordel, com uma dose de exagero característicos dos meus textros, retrata muito bem esta situação, a intolerância do cristão.

    Abraços Guiomar!

    ResponderExcluir
  35. Edson Moura, você taxou o cristão de intolerante, como?
    O intolerante é o ateu, eu e você. Nós não toleramos as mentiras cristâs nem a hipicrisia religiosa. O cristão aceita. O cristão é tolerante ao que não aceitamos.
    O que gera discussão é o fato de um membro de determinada seita virar defensor de todo o cristianismo e eles não pensam iguais, não agem iguais, têem só o mesmo Deus. Um não tem conhecimento de causa suficiente para defender o outro. Quando se critica alguma atitude inaceitável em alguna seita cristã tem sempre alguém para dizer: Mas na minha igreja não é assim. A minha igreja é mais correta. Eu sou membro da C.P.F.G. e quando Jesus vier, seremos todos arrebatados.E vou levar comigo meu jegue de estimação. He, he, he..

    ResponderExcluir
  36. Altamirando, analisando por este ângulo, você está certo, nós é que somos intolerantes mesmo. Mas nossa intolerância seria algo mais parecido com um "inconformismo" e não a "aversão ao diferente", bem característico do cristão moderno.

    ResponderExcluir
  37. ora, bill, se você respeita a fé da gui pare de maldizer ao deus que ela crê e as crenças que ela tem e ao livro que ela tem como regra de fé. deixa essas discussões para mim, para o levi, para o edson, pois a gui vive sua fé na prática sem dar muita bola para dogmas.

    por que você insiste sempre em trazer questões da ética da religião javista do at para hoje? já te falei, amigo, isso é anacronismo. melhor seria criticar a ética de jesus no que ela tiver de criticável em sua opinião.

    ninguém aqui (e nenhum crente mais crítico)concorda com as práticas dos maiores inimigos de deus na terra: os sacerdotes e o sistema religioso falido.

    deus odeia sacerdotes(tanto que acabou com eles com a vinda de jesus) mas ama ateus pois apesar de negarem-lhe a existência, não deixam de pensar nele um dia sequer...

    meu amigo edson, eu o amo, e vamos acabar com esse papo pois o niilismo chegou e sentou-se no trono; tudo é nada. ponto final.

    antes, porém, deixe eu comentar duas frases suas:

    "...sobre o passado heróico de um homem, que nos faz aceitar, passíveis, a realidade crua em que vivemos"

    jesus de nazaré jamais foi passível diante do sofrmento do seu povo, muito pelo contrário; ele só não era burro como eram os zelotes de querer derrotar um império com poucos homens e alguns punhais.

    jesus queria derrotar o império pela mente, pela transformação do homem interior. e por fim, o império romano dobrou-se diante da força irresistível daquela fé e tornou-se cristão. o que veio depois é história e todos conhecem.

    a outra:

    "...Mas a verdade é que isto pode até ter acontecido no passado, mas hoje não! Não vejo efeitos práticos salutares causados pela, ou melhor, por, qualquer religião atual."

    pode ter acontecido não, aconteceu. a religião faz bem para muitas pessoas hoje em dia sim; para outras ela faz um mal danado e acaba produzindo pessoas que vão atacá-las(com muitas razões) no futuro.ou seja, o ateu edson é fruto da própria religião...

    ou seja, a religião, como tudo nesta vida, não consegue se libertar da dualidade e das ambiguidades.

    a sabedoria está em colher o trigo e deixar o joio apenas como lembrança da antítese do que o trigo não deve ser.

    ResponderExcluir
  38. bill, por outro lado, não posso deixar de concordar com o teor geral do teu discurso: a única maneira de ateus e teístas conviverem em paz é cada um recohecer o valor do outro pois na verdade, comi diz bem o levi, eu sou o outro. a menos, é claro, que um dos lados não veja nenhum valor sequer no outro(negando-se a si mesmo), aí realmente, não há convivência possível.

    ResponderExcluir
  39. E engraçado voltar neste tema por que cada cultura tem os seus deuses. As antigas culturas agrárias tinham seus deuses da fertilidade, os gregos e os romanos tinham seu panteão; Judaísmo, Cristianismo e Islamismo têm um deus de todos. Em todos os momentos e em todos os lugares as pessoas acham que há mais vida para além do mundo material que nos cerca.

    A crença em um deus ou deuses, ao que parece, surge naturalmente no mundo. Isso nós faz perguntar, será isto apenas uma coincidência? Ou é a crença um mecanismo de defesa psicológica contra as dificuldades que a vida, inevitavelmente, gera em nós? Ou há alguma verdade que este instinto generalizada de olhar para além do mundo físico, nos conduz para?

    Como dizia o Friedrich Nietzsche no livro "A Gaia Ciência", na pág. 125.“Deus está morto! Deus permanece morto! E quem o matou fomos nós! Como haveremos de nos consolar, nós os algozes dos algozes? O que o mundo possuiu, até agora, de mais sagrado e mais poderoso sucumbiu exangue aos golpes das nossas lâminas. Quem nos limpará desse sangue? Qual a água que nos lavará? Que solenidades de desagravo, que jogos sagrados haveremos de inventar? A grandiosidade deste acto não será demasiada para nós? Não teremos de nos tornar nós próprios deuses, para parecermos apenas dignos dele? Nunca existiu acto mais grandioso, e, quem quer que nasça depois de nós, passará a fazer parte, mercê deste acto, de uma história superior a toda a história até hoje!”

    Fui e voltarei...

    ResponderExcluir
  40. Hubinho, saldações atéias!

    Pronto hubner, você acabou de captar o que estamos tentando lhe falar há anos, sua fala:

    "A crença em um deus ou deuses, ao que parece, surge naturalmente no mundo. Isso nós faz perguntar, será isto apenas uma coincidência? Ou é a crença um mecanismo de defesa psicológica contra as dificuldades que a vida, inevitavelmente, gera em nós?"

    Vicê não poderia estar mais correto Caro amigo cristão!

    A religião é para muitos, uma "válvula de escape" para as dúvidas, contingências da vida, frustração e sensação de desamparo. A crença em deus, quando usada particularmente por cada indíviduo, não causa mal algum.

    Minha crítica ferrenha é para o fato de, ao longo do tempo, a fé alheia ter sido usada como mecanismo de domínio. Uma manipulação massiva, hora para acalmar os ânimos mais alterados, ora para se angariar riqueza.

    Minha aversão à religião moderna, seja ela Umbanda, Candoublé, cristianismo, budismo, ou outra qualquer, é por motivos "nobres" e não apenas porque tenha raiva de quem crê.

    O problema é que a linha que separa uma fé saudável, de uma fé nociva é muito tênue.

    Abraços Hubner!

    ResponderExcluir
  41. O Hubner, o professor J.Lima foi um dos cristãos mais sinceros de todos os tempos ao dizer:

    "Eu estou liberto dos dogmas da religiao, mas sinceramente teimo em crer na ressurreicao sei que e ilógico mas necessito da transcendência, minha psique precisa agonizantemente se estruturar na continuidade da vida".

    Viu Edu, o professor Jota é um cara honesto, e eu admiro isso, seja vindo e um cristão ou de um ateu.

    Ps. Este trecho da fala do J.Lima está no último comentário em sua última postagem , "A metamorfose das Formas"

    Abraços!

    ResponderExcluir
  42. que lindo, edson, a sua condescendência superior ao pobre jl em sua necessidade agônica pela transcendência...

    ResponderExcluir
  43. agora, meu amigo, se você é sincero quando diz que

    "A crença em deus, quando usada particularmente por cada indíviduo, não causa mal algum.

    Minha crítica ferrenha é para o fato de, ao longo do tempo, a fé alheia ter sido usada como mecanismo de domínio."

    então você está apontando sua metralhadora cheia de mágoas (prá citar o "maior abandonado" cazuza) para o alvo errado. deixe de criticar a fé, a crença e a teologia e comece a criticar apenas as extruturas que usam a fé com motivos torpes. aí você terá em mim um companheiro de guerra bem motivado.

    não foi uma extrutura que você criticou em seu poema, foi um crente idiotizado e boca suja.

    ResponderExcluir
  44. eu, mesmo não precisando da ressurreição literal de jesus, sou tão fascinando e dependente pela transcendência quanto o jl. e isso não nos faz crentes pé nas nuvens, nos faz crentes pés no chão e coração no mistério da vida.

    edson, vamos juntos destruir as extruturas corruptas que se apoderaram do discurso sincero de quem tem fé. tô falando sério.

    que tal começarmos pelo vaticano?

    ResponderExcluir
  45. Edson,

    Incrivél é a afirmação de jesus, enquanto o buda dizia antes da morte que ainda não conhecia a verdade. Jesus foi categorico ao dizer que Ele é a Verdade.

    Ora, se Jesus é a verdade e Deus é a verdade, logo poderiamos pensar como Jesus pensou, e seriamos nós os próprios deuses?

    ResponderExcluir
  46. Eduardo, o vaticano é "cachorro morto", vamos começar pela fundação protestante chamada "Casa da Benção" do reverendo Ezequiel Pires. Ou com a "corporação pilantrófica" do Apóstolo Agenor Duque. Deixa o Vaticano quietinho que esse aí eu acredito que não dure mais 50 anos.

    Ps. Tô falando sério também!

    ResponderExcluir
  47. Agora você viajou na maionese Hubner. Jesus não poderia ser a verdade, simplesmente porque verdade, com esta conotação que Jesus queria dar, não existe, como diz o professor Jota: É só o "ponto de vista" do filósofo Jesus.

    Já Sidarta era mais pé no chão e muito, mas muiiiito, mais modesto que Jesus.rsss

    ResponderExcluir
  48. Eduardo Medeiros, parece que você é guardado pelo espírito santo(guerreiro).

    Edson Moura, o Vaticano não precisa ser chutado, a casa caiu há tempos. O catolicismo está sobrevivendo das ruínas e o cristianismo não conseguirá se manter em seu porões.
    Como eu sou muito "otimista", gostaria que você me exlicasse o termo "corporação pilantrófica", se quando você trocou as letras, o sentido foi junto. He, he, he...

    ResponderExcluir
  49. “O poeta é um fingidor.
    Finge tão completamente
    Que chega a fingir que é dor
    A dor que deveras sente”
    .
    (Fernando Pessoa)

    Trouxe esse verso do grande poeta Fernando Pessoa, à baila, para fazer ver à confraria que, a poesia, a escrita, a prosa e os versos refletem o humano, ou seja, refletem o paradoxal, a nossa intrínseca ambivalência.

    No caso do sensacional cordel do Edson, o refrão ou mote se constitui no maior paradoxo e ao mesmo tempo na maior verdade, pois ele representa a nossa alma ambivalente.

    Pra que maior paradoxo que esse:

    Sou Ateu graças a Deus!!!

    ResponderExcluir
  50. Altamirando, fiz uma busca rápida no meu dicionário etimológico para neologismos "NOREDAPEDIA", e encontrei este significado:

    Pilantrofia: Do grego Pilantrias, safado, sem-vergonha, chalatão, caloteiro, usurpador, veiaco. Mais o sufixo sofia abreviado, ou seja, uma pessoa pilantráofica é amiga da safadeza. (qualquer semelhança com estes dois pastores que citei, não é mera coincidência.

    Como podes ver agora, o termo faz todo o sentido.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  51. Levi, muito bem colocado a poesia de Fernando Pessoa, que retrata a paradoxal existência humana. Talvez o poeta, por ser "livre" em sua prisão humana, seja o ser mais apto a falar da ambivalência.

    Ser humano, é antes de mais nada, sabar aceitar que somos fustigados constantemente por mudanças repentinas de humor, crenças, ideais. Aceitar que o outro também está sujeito a estas mudanças, é o caminho para uma boa convivência.

    Infelizmente muitos acham que ambivalência é apenas um termo técnico usado por psicólogos e psicanalistas, ledo engano.

    O refrão do repente, realmente é constituído de um paradoxo, até engraçado, para os olhares menos atentos, mas muito sério para os que enxergam nas entrelinhas.

    O refrão não tinha a função de deixar o cordel mais engraçado, ao deboxar do ateu, mas sim, mostrar que para alguns ateus, o motivo de eles não acreditarem mais em Deus, é o próprio Deus.

    Semelhante a história do menimo e o lobo, chega uma hora em que ninguém acredita mais nas palavras do garoto, e o culpado é justamente ele.

    Então, por causa do próprio Deus, hoje eu não acredito mais que ele exista. Paradoxal né? rss

    Abraços Levi, e parabéns por este belo comentário.

    ResponderExcluir
  52. Levi, estou trabalhando num novo texto, justamente sobre a ambivalência, sobre o estado impermanente em que vivemos, e logo mais postarei lá no Outro Evangelho, conto com a participação de você e do Altamirando.

    ResponderExcluir
  53. Altamirando, me esclareça uma coisa: Você postopu mesmo este último comentário às 05:00 da manhã?

    Estavas voltando do carnaval?rss

    ResponderExcluir
  54. Edson,

    Após minha ausência na confraria (e em meu próprio blog) por "canseira" mesmo, cá estou, e me delicio com sábio repente humorístico.

    Ao ler os comentários vejo que nada mudou por aqui.

    Um grande abraço de seu amigo ateu,

    Evaldo Wolkers.

    ResponderExcluir
  55. Meu amigo ateu Evaldo Wolkers, seja bem vindo novamente.

    fiquei intrigado com sua fala:

    Nada mudou?

    Tens certeza?

    Esta sua afirmação contraria todop aquilo em que penso, ou pensamos.

    Já não sou o mesmo ateu, nem você! O Eduardo não é mesmo defensor dos crentes e o Leví já não é o apaziguador dos confrontos ideológicos.

    O hubner finge que está em desconstrução (isrto não mudou mesmo), e a Guiomar ainda acredita em deus.

    O Marcio não dá as caras mais por aqui e o Gresder, ah o Gresder, só pensa em Facebook.

    A novidade é o Altamirando e suas belíssimas asseverações sarcásticas.

    Mas eu meu amigo, mudei completamente! E estou mudando ainda mais.

    Conto com você para que juntos, cheguemos em nosso destino ateu, que é...

    Valeu pela visita!

    ResponderExcluir
  56. edson, o problema é que o vaticano é cachorro morto mas é um cachorro morto grande demais cujas presas ainda abocaham (mas já sem doer) as mentes de milhões de pessoas. acho que você está sendo muito condescendente com o sucessor(só por que ele quer) do pescador pedro.

    mas então comece a detonar o tal Apóstolo Agenor Duque que eu sinceramente, nunca ouvir falar. esse deve mesmo ser cachorro morto e enterrado...kkkkkkk

    sua frase:

    "Então, por causa do próprio Deus, hoje eu não acredito mais que ele exista. Paradoxal né? rss"

    está repleta de inconsistências práticas e teológicas. para você culpar a deus pela sua não crença nele, você teria que ter batido um longo papo tete a tete com ele mesmo em si-sendo-eu-sou-o-que-sou...(para lembrarmos do amiguinho marcinho); o problema é que o único deus que você conheceu foi o que te apresentaram, e este meu amigo, é uma farsa. você tem que encontrar o verdadeiro deus. onde? ah, me faz pergunta fácil...talvez o levi tenha uma boa sugestão psicanalítica para isso.

    e aí levi?

    ResponderExcluir
  57. altamarindo...ops, altamirando, eu sou guiado pelo espírito dos antigos elohins cósmicos que só quem é iluminado pode contatar.

    ResponderExcluir
  58. Gabizito meu anjinho sem asas, não leve tão a sério minha fala, eu sei que você não está me agredindo, você fica tempestuoso quando trata de assuntos ligados a religião, mas o anjo de asas está sempre assomando em seu coração.
    Quero lembrar a você que ainda existem muitos pastores capazes de abraçar a mulher pecadora, não ponha todos os líderes num mesmo pacote.

    Você falou muitas verdades, mas estou com muitas visitas, entrei rapidinho.

    Não ligo de discutir minha crença, até gosto.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  59. Eduzinho querido, muito obrigada por me defender destes lobos despojados de suas vestes de ovelhas.
    Realmente Edu, eu vivo a minha fé. Faz muito tempo que me rebelei contra os dogmas humanos. O que deixo de fazer não é por medo, por querer um lugarzinho no céu, nem por pensar em agradar a Deus, mas sim porque me faz muito bem, mas me alegro em saber que Deus aprova o meu modo de vida e meu desejo de vivenciar os ensinamentos de Jesus.
    Eu te amo muito amigo. Beijo.

    ResponderExcluir
  60. Gui, não me chame de lobo, isso é uma ofensa. Não desejo mal algum para você.

    ResponderExcluir
  61. Edsinho,
    Guiomar, sua fala é confusa:

    Eu disse que Deus ama com um amor sensato, lúcido.
    Imagina se Ele levasse para o céu todos estes monstros que matam, estupram, esquartejam, roubam, denigrem, cobiçam, invejam, exploram, etc o que seria o céu se não uma continuação deste mundo caótico...
    Deus indicou o caminho: Jesus, para que nós andássemos segundo Ele andou. Imitarmos Jesus só nos traz proveitos em todos os aspectos. O que é realmente difícil vivermos é o amor, mas é uma questão de exercício, que a sua prática também nos leva a uma vida bem mais prazerosa.

    "Entender que Deus existe em nossa Psique mas não existe fora dela, é a coisa mais difícil para um a pessoa".


    É impossível, não difícil, quando a gente tem experiências palpáveis com Ele.

    Você há de entender que para um crente ignorante e que ama realmente a Deus, é um insulto você dizer que é ateu, e o fato de muitos deles desejarem que você aceite Jesus como o seu salvador, perceba que é porque eles amam você e querem que você vá para o céu tambem.

    "Já o ateu, assim como eu, ou até o Gabriel, até dizemos que o deus dos crentes existe para eles, e que podemos conviver com essas diferenças, ou seja, aceitamos a forma de pensar do cristão, mas ele não aceita a nossa"

    É uma forma muito estranha de aceitar. Tenho visto muitos "ateus" intolerantes com os crentes, e achando que são um bando de alienados. Intolerância, querido, é um mal que em alguma área afeta todos os segmentos .

    Meu amigo, que você acredite ou não tem muita gente fazendo oferendas para desgraçar a vida de outros, eu já ví gente muito atormentada, por espíritos maus, não adianta ninguém tentar me dizer o contrário, porque conheci centenas de casos em que a medicina se sentia totalmente impotente.

    Não podemos negar o óbvio.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  62. Eduardo meu amigo, falaste uma grande besteira ou não entendestes bulufas do que escrevi.Eu digo:

    "Então, por causa do próprio Deus, hoje eu não acredito mais que ele exista. Paradoxal né? rss"

    E você diz:

    "Está repleta de inconsistências práticas e teológicas. para você culpar a deus pela sua não crença nele, você teria que ter batido um longo papo tete a tete com ele mesmo em si-sendo-eu-sou-o-que-sou...(para lembrarmos do amiguinho marcinho); o problema é que o único deus que você conheceu foi o que te apresentaram, e este meu amigo, é uma farsa. você tem que encontrar o verdadeiro deus. onde? ah, me faz pergunta fácil...talvez o levi tenha uma boa sugestão psicanalítica para isso"

    Eduardo, vou explicar como se estivesse lidando com uma criancinha: Se todos lhe dizem que você tem um amigo, este amigo está vendo e ouvindo tudo que você faz e fala, este amigo lhe dá paz e alegria. Este amigo criou tudo que você vê, e inclusive criou você.

    Mas você procura por esse amigo e não o encontra. esta amigo não lhe responde às indagaçôes. Este amigo é mudo, surdo e invisível por opção.

    Logo, deixo de acreditar que este amigo exista, justamente pela incapacidade de ele se apresentar a mim. Não sei se por vontade ou por impotência, este amigo se escondeu no infinito. Então, a culpa de eu não acreditar que eeste amigo exista, é dele mesmo. Logo, posso dizer: "Graças a Deus, eu sou ateu!"

    Entendeu ou quer que eu desenhe Edu?

    Encontrar o verdaddeiro Deus Edu? Que palhaçada é esrta que está me dizendo? Nem você sabe onde ele está! Nem você sabe que ele existe! Nem você acredita que ele exista de verdade!

    O que você sente é uma necessidade involuntária de acreditar em algo superior a você! Você se caga de medo de ter certeza de que o Deus verdadeiro não exista! A crença é uma válvula de escape psicológica. Se não quer deixar de crer, tudo bem, mas se eu não quero crer, tudo bem também. Se você quer falar que existe um Deus verdadeiro, tudo bem! Se eu quero dizer que não existe um deus verdadeiro, só falsos..tudo bem também! esta é a regra da tolerância, e você não a está respeitando.rss

    ResponderExcluir
  63. Guiomar, você diz que sua intenção não é agradar a Deus, ou angariar um lugar no céu.

    Sua fala: "O que deixo de fazer não é por medo, por querer um lugarzinho no céu, nem por pensar em agradar a Deus, mas sim porque me faz muito bem, mas me alegro em saber que Deus aprova o meu modo de vida e meu desejo de vivenciar os ensinamentos de Jesus".

    1º Golpe: Não pensar em agradar a Deus, não pode estar em coerência quando você diz, no mesmo parágrafo, que se alegra por saber que Deus aprova seu modo de vida.

    2º Golpe: A aprovação de Deus está atrelada a um lugarzinho no céu sim senhora! Ou será que se não houvesse céu, apenas inferno, você agradaria a Deus? Ou melhor, se não houvesse nem inferno!

    3º Golpe: Medo do inferno co-existe com o "vivenciar os ensinamentos de Jesus". Aliás, quem inventou essa história de Inferno não foi Deus, mas sim, Jesus. Logo, devemos imitá-lo para que não sejamos atirado no inferno, não é assim?

    ResponderExcluir
  64. Guiomar, novamente voc~e foi confusa no esclarecimento, mas este eu vou deixar passar porque a frase é mesmo complicada. Eu digo:

    "Entender que Deus existe em nossa Psique, MAS NÃO EXISTE FORA DELA, é a coisa mais difícil para um a pessoa"

    E você concorda comigo, mas discorda de si, mesmo sem perceber, veja:

    "É impossível, não difícil, quando a gente tem experiências palpáveis com Ele."

    Vou deixar passar, pois acho que você apenas esqueceu de colocar um NÃO em sua frase.

    então sua frase ficaria assim: "É impossível, não difícil, quando a gente NÃO tem experiências palpáveis com ele.

    Viu? Eu um "ateu intolerante", até te ajudei a criar um argumento contra mim mesmo.rsss

    Abraços Guiomar!

    ResponderExcluir
  65. Guiomar, eu frequentei a umbanda por quase 10 anos, e já ví muita coisa. Espíritos maus não existem. Pessoas más, essas existem.

    Pessoas atormentadas por espíritos não existem. Pessoas atormentadas por pseudo-espíritos, frutos de suas imaginações férteis, isso sim existe.

    Se duvida de mim, pergunte ao Levi o que ele acha sobre isso. Tenho certeza que ele dirá, de um jeito muito meigo e gentil, que a pessoa tem problemas psicológicos.

    Já desafiei e dasafio a qualquer pai de santo me tacar uma macumba das brabas. Não vai acontecer nada. Sabe por que? Porque eu não acredito, logo, minha mente não vai criar síndromes persecutórias, nem sintomas psicossomáticos.

    ResponderExcluir
  66. Eduardo, quanto ao Agenor Duque, eu até hoje o ataco. O que não posso fazer é ir até a Igreja dele e o espancar em frente aos irmãos que lá congregam. Minhas armas são as palavras Edu, e farei uso delas enquanto puder.

    Leia o texto: "Quem vai explicar", ecrito por mim, quando ainda era crente. Olhe o trecho:

    [...Sobre o Edir Macedo não precisa dizer nada, pois meu irmão Marcio Alves já escreveu o suficiente, e se, mesmo assim, com todos esses escândalos, os membros da igreja Universal do reino de “deus”, preferem viver dentro deste paradigma, então vale a frase: “A ovelha merece o pastor que tem”.

    Existe um outro “bando” de líderes evangélicos sem moral, vou citar alguns e quem quiser verificar seus perfis e as doutrinas que eles ensinam é só visitar suas igrejas (suas mesmo, porque do Senhor é que não são!) ou devo dizer “empresas”. Lá vai!

    Apóstolo Sergio Lopes e bispa Vera Lopes; apóstolo Agenor Duque; missionário Ezequiel Pires (um dos piores); missionário R.R. Soares, pastor Silas Malafaia; Renê Terra Nova;Valnice Milhomens;(pasmem!) Samuel Ferreira, bom, acho melhor parar por aqui, não por falta de elementos e sim por falta de coragem pra escrever tanto, e para não deixar a mensagem muito extensa. Esta é a realidade moral do nosso mundo.

    Em nível espiritual, acho que o texto acima, dá uma idéia do que vem acontecendo espiritualmente com a população do mundo (planeta)...]

    Link para esta postagem em outro evangelho:


    http://outroevangelho.blogspot.com/2009/09/quem-vai-explicar.html

    Abraços Edu!

    ResponderExcluir
  67. EDSON

    A tua postagem merece ficar até QUARTA FEIRA DE CINZAS. (rsrs)

    Estou lendo os comentários como quem está numa arquibancada do sambódromo, isto é, bem atento com os olhos e com o coração.

    Voltaste sem dó nem piedade, para descontar o tempo em que ficaste ausente da C.P.F.G. (kkkkk)

    À la Hubner: "Depois eu volto".

    ResponderExcluir
  68. edson, você desenhou legal, entendi o que você queria dizer; mas é que do jeito que a frase ficou dá margens para mais de uma interpretação(é claro que só prá tapados como eu kkkkk); eu interpretei o que você disse como se a culpa por você não acreditar em deus fosse o "mesmo deus" da religião cristã que te ensinaram a crêr e que você creu e se arrependeu de ter crido.

    perdoe-me a confusão.

    o teu argumento é bem sólido. ora, se dizem que deus é meu amigo por que ele nunca aparece na minha frente e diz: "oi, quer brincar comigo"?

    mas meu amigo, para sua surpresa, eu creio em deus.só que o deus que eu creio é inominável, é o mistério que permeia a vida e a fonte a qual buscamos saciar a sede da nossa dependência por algo além de nós e do materialismo.

    não me culpe por esse sentimento que fez e faz parte da nossa espécie, dizem que foi a evolução que o criou, logo, culpe a evolução (a evolução criou o sentimento e nós criamos as representações do sentimento? mas prá quê a evolução foi fazer isso com agente...!!! poderíamos ter ido bem sem a religião não é?).

    concordo que os ateus são bem coerentes em não acreditar que deus(e deuses) existam; eu também não creio em zeus, zios, apolo, marduk, baal, javé, hércules, tarzan, jim das selvas...mas todos eles fazem parte do nosso "consciente coletivo transcendental"...(perdoe-me levi e jung pela heresia) só não podem negar que o sentimento religioso exista e que faz parte do nosso dna.

    no dia em que a ciência desvendar todas as indagações da existência(o que eu duvido), ainda restará a indagação primordial: o por quê(já que essa pergunta fundamental do por quê da existência extrapolo o campo científico).

    a resposta que a humanidade encontrou para satisfazer o "por que" foi deus, ou, o sentimento de transcendência que encarna em deus(representação) como resposta para o sentimento.

    somente aqueles que fingem que o "por que" não existe ou que acreditam que ele não tem e nem deve ter resposta é que se conformam com o ateísmo radical negador do sentimento religioso humano que os próprios ateus possuem e querem negar que tenham.

    sou cristão. a interpretação existencialista do cristianismo sacia-me um pouco a sede do meu sentimento pela transcendência. as profundas interpretações psicológicas que o levi faz também me dá boas goladas de água fresca...

    dependente?

    zou tão dependente em afirmar o sentimento religioso que se manifesta historicamente nas religiões e deuses como você é de negá-lo. só que você pode negar o sentimento religioso que você tem mas sei que continuará a se emocionar quando olhar para as estrelas...

    abraços calorosos, meu amigo de fé.

    ResponderExcluir
  69. levi, então esta excelente postagem do edson fica até às cinzas...e você renova tudo tal qual a fênix na quarta-feita com um novo texto.

    edson, na verdade você postou fora de ordem mas não tem nenhum problema, estamos aqui bem flexíveis, quase anárquicos como queria o bill; eu postei um texto do jl pois estávamos com saudade de discutir os textos dele.

    ResponderExcluir
  70. Edu meu capitão, finalmente chegamos a um denominador comum. Depois de um ano debatendo, precisei falar da forma mais simples possível para que você me entendesse.

    A filosofia, a ciência, a psicanálise, nenhuma delas teve a capacidade de ilustrar o sentimento de não crença que habita em mim.

    O segredo, a "magia", está na simplicidade de explicar o que ninguém consegue entender, como diria Renato russo.

    Abraços ateus, mas ainda assim calorosos.

    ResponderExcluir
  71. Desculpa aí Edu. Mas eu bem que tentei avisar que não estava entendendo se era a minha vez ou do Leví postar.

    ResponderExcluir
  72. Edsinho,
    "1º Golpe: Não pensar em agradar a Deus, não pode estar em coerência quando você diz, no mesmo parágrafo, que se alegra por saber que Deus aprova seu modo de vida"

    Toda coerência, eu não faço por interesse, faço porque me faz bem, mas me sinto feliz que Ele se agrade.

    É lógico que eu quero morar no céu, mas o fazer as coisas de forma que me faz bem não é porque quero ir para o céu e sim, porque me faz bem.

    Meu querido, você esqueceu: Eu e o Pai somos Um. Logo a idéia de inferno para o diabo e seus anjos, foi do Pai também.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  73. "Entender que Deus existe em nossa Psique, MAS NÃO EXISTE FORA DELA, é a coisa mais difícil para um a pessoa"

    Eu disse exatamente isto: que, se você tem experiências palpáveis com Deus é impossível você ter dificuldade de crer que Ele existe dentro e fora de você.
    Foi claro?

    ResponderExcluir
  74. Edu

    Você tirou a palavra de minha boca. Ia falar agora mesmo no Gabriel. É que estamos sendo injusto com ele, que passou batido em sua vez de postar.

    Cedo minha vez ao Bill, que fez a sua última postagem no longínquo 05 de dezembro de 2010(três meses atrás), com o texto "Bem vindos ao Inferno".

    Só que passado o Carnaval, acho que ele vem com algo tipo Benvindo ao Batente duro da Vida" (rsrs)

    Bem, passei a bola para ele, esperando a aprovação de todos do time, que agora joga sem posições rígidas.

    ResponderExcluir
  75. Guiomas, tudo, absolutamente tudo o que fazemos é por interesse. Para você ter uima idéia, não existe (em minha opinião), altruímo puro. Sabe por que?

    Porque até mesmo quando fazemos um bem a um estranho, fazemos por que isto nos fará sentir bem, logo, fazemos pelo interesse de estarmos bem conosco mesmos.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  76. "Pessoas atormentadas por espíritos não existem. Pessoas atormentadas por pseudo-espíritos, frutos de suas imaginações férteis, isso sim existe"

    Não tem Levi, não tem ninguém no mundo que me faça duvidar que eles existem e que atormenta uma pessoa. Contra verdade não há argumentos.

    E vi com meus olhos uma mulher deitada no chão pedindo socorro e sendo surrada por um ser invísivel e não só eu mais quem passava pelo local viu.

    Ví pessoas fazendo coisas que um ser humano jamais poderia fazer com suas próprias forças.

    O que você me diz de um homem subindo uma parede como se fosse o homem aranha, de uma criança de dois anos subir sozinha numa parece e sentar no alto dela?

    Meu querido, os fatos estão aí, não tem como negá-los.

    ResponderExcluir
  77. Guiomar, não imputes a Deus um castigo que só existia na boca de Jesus. Do contrário, Deus no antigo testamento teria falado algo sobre o inferno literal.

    Este é mais um dos paradóxos da Bíblia. Ou seja:

    Deus Pai era sanguinolento, mas só punia com a morte.

    Jeus era amor, mas punia com a vida eterna em sofrimento no "inferno".

    ResponderExcluir
  78. Guiomar, você está se complicando. Sua explicação não explicou foi nada!

    Leví, dá uma força aí mano! rss

    ResponderExcluir
  79. Não se escandalize com os mercenários Edir, Silas a Bispa Sonia e outros, já fomos avisados que, nos últimos dias fariam comércio de nós, como também, que muitos apostatariam da fé.
    E que a iniquidade se multiplicaria e por isto, muitos iriam esfriar na fé.

    ResponderExcluir
  80. Guiomar, me perdoe a incredulidade, mas acho que você anda assistindo muito filme do tipo, "Exorcista", "Postergeist" e "Supernatural".

    Vai me dizer que você já presenciou isto? Cuidado com a resposta.

    ResponderExcluir
  81. Você taí queridão, heehheeh

    Porque até mesmo quando fazemos um bem a um estranho, fazemos por que isto nos fará sentir bem, logo, fazemos pelo interesse de estarmos bem conosco mesmos.

    Para você ver como o homem é doente por dentro, mas pelo menos eu não tenho esta consciência de agradar a Deus, mas sim, ser grata a Ele.
    Quando faço algo por alguém, também não penso no que resultará para mim, se desfruto do resultado, é mais que natural.

    Não complica tanto as coisas Edsinho.

    ResponderExcluir
  82. Guiomar, não imputes a Deus um castigo que só existia na boca de Jesus. Do contrário, Deus no antigo testamento teria falado algo sobre o inferno literal

    Não fui eu quem disse: "Eu e meu Pai somos um" e

    "Mas aquele que me enviou é verdadeiro, e eu falo ao mundo o que dele ouvi".(joão 8.28).

    ResponderExcluir
  83. Meu querido, eu não preciso criar histórias para respaldar nada. Eu já ví coisas piores, e digo-lhe mais: já expulsei demônios e fui avisada por Deus bem antes de acontecer.

    E eu já ví um demônio imenso e como citei a palavra e ele não se demoveu, eu estava sozinha em casa, na cozinha, eu peguei a bíblia muito irada perguntei a Deus: isto é ou não é verdade, por que este espírito não se vai? Deus me falou claramente que era o mesmo espírito que atuou através de Sambalá, então eu disse: senhor é contigo e no mesmo momento, ele desapareceu.

    ResponderExcluir
  84. Guiomar, você está se complicando. Sua explicação não explicou foi nada

    Qual delas? Ou o que você queria ler?

    Beijos.

    ResponderExcluir
  85. Guiomar, eu já fui diácono e também já expulsei "demônios", mas hoje sei que não eram demônios de verdade, e sim uma pessoa dominada pelos seus monstros interiores.

    Hoje sei que a melhor maneira de se expulsar um demônio é sacar um revólver e dizer:

    saia se não eu te encho de chumbo, em nome de Rossi, ou Taurus, ou Winchester. Pronto o demônio vai e não volta mais.

    Abraços Gui!

    ResponderExcluir
  86. ô Gabinho, perdão, eu não queria te ofender, falei em tom de brincadeira.
    Beijão nas alfaces.

    ResponderExcluir
  87. levi, sem problemas, você tem razão sobre o bill. mas o que acontece, senão me engano, é que da última vez ele não quis postar nada.

    ResponderExcluir
  88. Guiomar, você falou algo que me fez epnsar em alguns detalhes sobre a caminhada do homem na história. Por exemplo, você diz que a iniquidade se multiplicou. Sua fala:

    "Não se escandalize com os mercenários Edir, Silas a Bispa Sonia e outros, já fomos avisados que, nos últimos dias fariam comércio de nós, como também, que muitos apostatariam da fé.
    E que a iniquidade se multiplicaria e por isto, muitos iriam esfriar na fé".

    Iniquidade quer dizer, maldade, transgressão, injustiça. E é justamente neste ponto que eu discordo de você.

    Não acho que a maldade no mundo aumentou, desde a época em que Jesus disse isso.

    Não classifico o home como seres bons e seres maus, mas sim como seres selvagens, ou bárbaros e seres inteligentes.

    É claro que temos notícias de atrocidades aqui e alí. Mas se formos honestos com os fatos, veremos que atos atrozes vêm diminuindo à medida em que os homens vão ficando mais inteligentes.

    Continua...

    ResponderExcluir
  89. Continuando...

    Hoje temos muito mais acesso à informação do que tínhamos há dois mil anos, o que nos dá a falsa impressão de que tudo está muito mais violento hoje, mas isso não é verdade.

    Tomemos como exemplo a época em que os evangelhos foram escritos. Você terá que concordar comigo que antigamente os homens eram mais "maus" (bárbaros) que hoje.

    Recentemente o mundo se mobilizou em prol de uma iraniana que estav em vias de ser apedrejada. A pergunta que faço é a seguinte:

    Ela escaparia desta sentença há mil anos atrás?

    É claro que não!

    Conclusão:

    O homem não é mais selvagem, logo, ele não pode estar vivendo em um contexto mais violento do que os antigos.

    Vou dar um exemplo e você entenderá por que digo que o homem de hoje é mais inteligente e consequêntemente é uma pessoa menos "má" que o homem primitivo (época dos evangelhos).

    continua...

    ResponderExcluir
  90. Continuando...

    Se eu estivesse numa selva, e comigo houvesse apenas um assassino sanguinário, com vasto treinamento em sobrevivência, e um cidadão comum de bom coração mas completamente inútil, e em determinado momento eu tivesse que escolher entre a vida de um deles. Quem você acha que eu escolheria?

    Se respondeu que seria o bom cidadão, se enganou.

    O fato de eu querer continuar vivo, me obriga a manter vivo o assassino, para que minha chance de sobrevivência aumente.

    Com esta ilustração (desenvolvida por mim mesmo rss), eu quero mostrar como o homem de hoje, por necessitar que a vida se mantenha, que a sociedade continue estruturada, não pode aplicar uma sentença sem pensar nas consequências.

    Quanto mais o homem pensa, menos "mau" ele se torna.

    Não vemos essa tolerância nos homens primitivos.

    Esta atitude remonta à época dos dinossauros. Eles não foram completamente estinguidos com o choque de um meteoro. mas a extinção foi uma consequência da selvageria em que viviam.

    Se numa caverna houvessem duas espécies que estivessem em lados opostos da cadeia alimentar, eles iriam se matar e e não se ajudar.

    O home sabe que precisa do homem e por isso hoje, ele é melhor em todos os aspéctos.

    Então...

    A iniquidade não aumentou!

    ResponderExcluir
  91. "Pessoas atormentadas por espíritos não existem. Pessoas atormentadas por pseudo-espíritos, frutos de suas imaginações férteis, isso sim existe" (EDSON)

    Não tem Levi, não tem ninguém no mundo que me faça duvidar que eles existem e que atormenta uma pessoa. Contra verdade não há argumentos.” ( GUIOMAR)

    Com a coisa descambou para espíritos e pseudo espíritos como entidades externas, trago aqui um trecho de um texto postado aqui na C.P.F.G. por mim em junho de 2010, com o titulo: “NOSSOS DEMÔNIOS INTERIORES” (Um olhar psicanalítico sobre o problema)


    “Pois não temos de lutar contra a carne e o sangue [...], [...] mas contra as forças espirituais nas ‘regiões celestiais’”. (Essas regiões, Freud traduziu como “o inconsciente”).

    Com relação ao demônio como força maléfica, no século V, Santo Agostinho insistia que o mal não vinha de fora, era a vontade do homem que o provocava.

    “Os estados de possessão correspondem às nossas neuroses, para cuja explicação
    mais uma vez recorremos aos poderes psíquicos. A nossos olhos, os
    demônios são desejos maus e repreensíveis, derivados de impulsos instintuais
    que foram repudiados e reprimidos. Nós simplesmente eliminamos a projeção
    dessas entidades mentais para o mundo externo, projeção esta que a
    Idade Média fazia; em vez disso, encaramo-las como tendo surgido na vida
    interna do paciente, onde têm sua morada”.
    (Herege judeu, grande estudioso do judaísmo e cristianismo - Freud)

    Freud considerava que essa questão “sobrenatural” entre “deuses e demônios” era um resultado da ambivalência do filho para com o seu pai: o filho anseia pelo seu genitor, assim como tem medo de desafiá-lo. O pai da psicanálise entendia que as representações mentais do demônio maligno, constituíam-se exatamente a antítese de Deus, e que a “entidade oposta” estava muito perto do Divino, em sua natureza.

    Uma coisa não se pode negar: é a de que a guerra entre deuses e demônios vem se travando nas mentes dos religiosos fundamentalistas desde épocas remotas. Com a descoberta do inconsciente ficou claro que esses “deuses e demônios” que os antigos percebiam, nada mais são que produtos da psique humana, traduzidos por eles como forças externas personificadas do mal e do bem. A figura do capeta, diabo ou demônio, ainda hoje, entre os fundamentalistas, é traduzida como potestades do ar que invadem a mente humana para guerrear contra os deuses imaginários. É nesse grande palco mental que o apóstolo Paulo denominou de “lugares celestiais”, que se trava a imaginária luta entre as forças divinas e diabólicas.


    Nas narrativas das Escrituras Sagradas os deuses se transformavam em demônios maus quando novos deuses os expulsavam. Quando determinado povo era conquistado por outro, seus deuses caídos, não raramente, se transformavam em demônios aos olhos dos conquistadores. Diz a História que nas épocas primitivas da religião, o próprio Deus possuía todos os aspectos terrificantes que mais tarde se combinariam para formar uma contraparte Dele.

    A psicanálise tornou-se a arquiinimiga da religião, ao desvendar que é do porão obscuro (inconsciente) do sectário, que se projetam os impulsos inaceitáveis de sua vida pregressa sob a forma simbólica de demônios. Sendo assim, a “religião” parece funcionar como um sistema repressivo que aparentemente protege o indivíduo das ameaças de suas pulsões instintivas e agressivas, à custa do sacrifício do prazer. Pelo fato do inconsciente ser percebido como algo além da vontade consciente, é que os antigos atribuíam ao mundo sobrenatural do além, a origem dos seus “demônios e anjos internos”.

    ResponderExcluir
  92. edson,

    você pode não crer nos deuses e nem em deus mas na vida eu sei que você acredita. isso basta. acreditar na vida já é um jeito de transcender.

    e olha, eu venho te dizendo o que eu disse há muito tempo; talvez só agora eu tenha conseguido desenhar pra você.

    ósculos santos em tuas faces

    ResponderExcluir
  93. eita que o levi entra de sola com freud a tiracolo...kkkkkkk

    estados alterados de consciência são capazes de fazer coisas espetaculares e absurdas como por exemplo, caminhar sobre brasas sem se machucar.

    pergunto ao levi. você acha que todos os fenômenos ditos paranormais tem sua origem no inconsciente humamo?

    ResponderExcluir
  94. Tudo bem Edu. Nós dois estamos certos, e nós dois estamos errados.rss

    ResponderExcluir
  95. Guomar, o Leví não falou, mas falou tudo o que eu te falei. Agora você vai falar que eu não falei que o Leví ia falar de forma meiga e gentil que pessoas que acreditam em demônios, são pessoas com problemas psiquicos.

    Valeu Leví!

    ResponderExcluir
  96. Boa Eduardo, vamos ver se todos os fenômenos são do incosnciente (oh palavrinha que me incomoda viu), ou podemos chamar mesmo de "fenômenos para-psíquicos".

    Vamos ver até onde esta conversa chega!

    ResponderExcluir
  97. Já que o Leví, sabiamente, relembrou um dos textos dele, também cito aqui um dos meus antigos artigos.

    "Limites para uma fé saudável". Quando critíco a fé, não estou criticando diretamente o deus dos cristãos, e isso já ficou claro. Mas talvez eu devesse atacar diretamente o Diabo. Quem sabe assim, minha ideia seria mais bem aceita, e eu estaria fazendo a mesma coisa que sempre fiz, pois o Diabo também faz parte da religião.

    A Guiomar nos trouxe à baila (como diz o mestre) o assunto dos espíritos. Será esta a hora de mostrar para ela que não existe Demônios?

    O Eduardo, o Leví, e o J. Lima certamente estariam ao meu lado nesta luta.

    Certa vez eu disse:

    [...Observo campanhas de libertação em igrejas evangélicas...rituais de exorcismo...pessoas caindo (dizem ser arrebatamento de sentidos...eu já considero crise epilética com “aura estática”)...

    Outras sendo arrastadas pelos cabelos (cenas horrendas). Não seria de se estranhar que em determinadas igrejas, fiéis que congregam há vários anos, todas as semanas caem “endemoninhadas”, e lá está o pastor “ungido” para extirpar o “mal” da pobre criatura.

    Como se origina a esquizofrenia eu não sei, mas conheço alguns sintomas de categorias diversas: “positiva”...”negativa” e “cognitiva”. As pessoas estão mais familiarizadas com os sintomas positivos como a agitação...o delírio paranóide... as alucinações e o mais comum...ouvir vozes.

    Alucinações de comando, onde vozes instigam a violência à própria pessoa e contra as outras, são um sinal extremamente grave.

    Guiomar, não estou de forma alguma dizendo que você é doidinha, por favor, não é isso.

    Apenas quero mostrar que tais coisas não existem, e que, no momento em que tomamos conhecimento desta inexist~encia, vivemos mais tranquilos e sem crises.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  98. edson, até teologicamente provar a origem dos demônios é complicado. a resposta mais fácil da teologia ortodoxa é dizer que os demônios são os anjos que caíram do céu liderados por samiasa (segundo o livro de enoch).

    explicar como todos esses anjos, antes seres puros diante de deus que o louvavam dia e noite e agora são seres que vivem para disseminar o mal e a dor nos seres humanos não tem explicação nem na bíblia.

    e tem ainda o agravante que o at desconhece tal criatura até a época em que israel teve contatato com a cultura persa, esta sim, repleta de seres demoníacos.

    ResponderExcluir
  99. Edu



    Quero aqui fazer um mini relato sobre a potência dos desejos, que chegou ao ponto de forjar uma gravidez – que deixou em mim forte impressão.

    A pseudociese ou gravidez psicológica (casos raros na literatura) - eu tive a oportunidade de observar três casos em minha experiência como obstetra entre 1970 e 2002, quando deixei de dar plantão.

    Esses casos só acontecem em mulheres que desejam ansiosamente ou ardentemente engravidar, e que são portadoras de problemas de infertilidade.

    Para vocês entenderem o que a “fé” ou um desejo doentio (sei lá) pode repercutir no organismo humano.

    Em todas essas três mulheres por ocasião do pré-natal havia uma certeza tremenda de que tinham realmente ficadas grávidas. Parada da menstruação, enjôos, etc. Aumento das mamas, com a produção de leite. Aumento do volume abdominal e uterino. Do oitavo mês para o nono, elas entraram em contrações dolorosas, com dilatação do colo. Nessa época não existia ultrassom. Chegamos a realizar uma cesariana e não encontramos absolutamente nem um resquício de feto. O desejo ou a “fé” da paciente não se concretizou, simplesmente pelo fato de não ter havido fecundação.

    A pressão abdominal era tamanha que comprimia aorta abdominal , a ponto de os batimentos dessa artéria, chegarem a confundir a todos como se fossem batimentos fetais, atingindo 160/minuto (parâmetro que indicava sofrimento fetal).

    Os movimentos da musculatura abdominal da “parturiente” simulavam os movimentos fetais.
    Lembro-me bem que muitos que tomaram conhecimento desses três casos, saíram dizendo: “Que as mulheres tinham sido possuídas por demônios” .
    A literatura médica diz: Pseudociese ou gravidez psicológica o que a religião com certeza diria: “Gravidez demoníaca”

    Em medicina dizemos que a saúde psíquica só se dar se houver equilíbrio entre nossos afetos opostos. Traduzido para a linguagem dos religiosos, isso seria impossível, pois eles não suportariam essa assertiva de que a saúde espiritual do crente depende do equilíbrio entre suas forças demoníacas e divinas. (rsrs). Javé e o Diabo selam um pacto na psique do personagem mítico – Jó, para mostrar que o equilíbrio psíquico só acontece quando sentamos à mesa com os nossos inimigos(reconciliação com os afetos opostos), como fez o personagem da história quando recuperou uma outra visão, a de poder olhar para dentro de si.

    ResponderExcluir
  100. Não entendi a berlinda montada por Guiomar e Edson. Se não entenderam Freud peçam ajuda a Paracelso. O candomblé cultua o mesmo ritual, explorando o subconciente humano com uma cultura bem mais primitiva.

    ResponderExcluir
  101. Edsinho,
    É claro que temos notícias de atrocidades aqui e alí. Mas se formos honestos com os fatos, veremos que atos atrozes vêm diminuindo à medida em que os homens vão ficando mais inteligentes.

    Acho que você está totalmente alheio as selvagerias que estão acontecendo mesmo aqui no nosso Brasil. Estou estupefata com a sua afirmação.

    ResponderExcluir
  102. Guiomar, eu já fui diácono e também já expulsei "demônios", mas hoje sei que não eram demônios de verdade, e sim uma pessoa dominada pelos seus monstros interiores

    Graças a Deus que não existem milhares de pessoas exibindo seus "monstros exteriores". Você nunca viu foi uma pessoa realmente endemoniada.

    ResponderExcluir
  103. Levi, infelizmente eu não lembro em qual livro eu lí trocas de cartas de uma amigo de Freud com ele. Sei que este amigo contava para ele que via gavetas se abrirem, moveis andando dentro de casa, etc e o Freud não teve nenhuma explicação para os fenômenos, claro ele entendia de psicanalise, e não do mundo espiritual.

    Hoje nós temos em BH, não sei em outras cidades,
    universidade anti Freudiana. Ele não tem a última palavra, como o mais capacitado dos psicanalistas também não têem.

    Tenho pena das vítimas de drogas receitadas por psicanalistas, por não saberem como libertar um algemado gadareno.

    Beijo amigo.

    ResponderExcluir
  104. Guomar, o Leví não falou, mas falou tudo o que eu te falei. Agora você vai falar que eu não falei que o Leví ia falar de forma meiga e gentil que pessoas que acreditam em demônios, são pessoas com problemas psiquicos.

    Se todo mundo que tem problemas psiquicos vivem a vida como eu vivo, eu desejo que todos os seres humanos que estão mal, tenham problemas psiquicos.

    Tem muita gente que nega que os demônios existem, porque têem medo deles. Mandar seu possesso para uma psiquiatria é bem mais cômodo e acalma a consciência diante das outras pesoas.

    ResponderExcluir
  105. [...Observo campanhas de libertação em igrejas evangélicas...rituais de exorcismo...pessoas caindo (dizem ser arrebatamento de sentidos...eu já considero crise epilética com “aura estática”)...

    Outras sendo arrastadas pelos cabelos (cenas horrendas). Não seria de se estranhar que em determinadas igrejas, fiéis que congregam há vários anos, todas as semanas caem “endemoninhadas”, e lá está o pastor “ungido” para extirpar o “mal” da pobre criatura.

    Edsinho meu querido, quando falar de exorcismo tire os terreiros de Edir Macedo e outros circos iguais, de campo.

    ResponderExcluir
  106. Levi, eu já contei no meu blog uma experiência igual, na postagem Era uma gravidez psicológica.
    http://davidguiomar.blogspot.com/search?q=gr%C3%A1vida. Ela era minha amigona.

    Sugerir ou crer que a pessoa está possessa por isto, é ignorância absurda ou paranóia da braba. rsrs

    ResponderExcluir
  107. Edu, alguns casos em que o AT fala de satanás:
    Vejamos as ocorrências de SATÃ (= opositor, adversário), no Velho Testamento:
    1 CRÔNICAS 21:1 ¶ Então SATANÁS se levantou contra Israel, e incitou Davi a numerar a Israel.

    JÓ 1:6 ¶ E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também SATANÁS entre eles.

    E ele mostrou-me o sumo sacerdote Josué, o qual estava diante do anjo do Senhor, e SATANÁS estava à sua mão direita, para se lhe opor.
    Zacarias
    3:2 Mas o Senhor disse a SATANÁS: O Senhor te repreenda, ó SATANÁS, sim, o Senhor, que escolheu Jerusalém, te repreenda; não é este um tição tirado do fogo?

    Ainda tem o caso de Moisés, quando o diabo contendeu com um anjo pelo corpo de Moisés.

    Beijão

    ResponderExcluir
  108. Agora eu entendi o porquê do número elevado de comentários em algumas postagens

    ResponderExcluir
  109. gui, os casos em que você aponta são de textos bem recentes na cronologia do at e esses seres que as traduções mais ruins da bíblia traduzem como "satanás" no hebraico é "satã" e este não é o satanás da posterior teologia cristã, ou seja, um anjo do mal caído do céu.

    veja que em muitos desses versículos, o satã passeia pelas regiões celestiais(como em jó)mas como isso é possível se ele foi expulso de lá?

    satã no hebraico é qualquer pessoa ou anjo ou ser celestial que tenha tal função, que age como adversária dos propósitos divinos.

    na teologia judaica antiga, javé era quem produzia o bem ou o mal; depois, essa ideia mudou e então javé agora possui um advesário externo a ele como causador do mal.

    é simples constatar isso. no caso de crônicas (satanás incitando davi). veja o texto paralelo mais antigo de samuel ou reis (não lembro onde) e lá você verá que quem incita davi é deus e não satanás.

    esse é um assunto longo para ser tratado aqui nos comentários.

    gui, outra coisa, você não acredita que as expulsões de demônios feitas pela iurd e similares não são verdadeiras? se não são, como saber quando são?

    ResponderExcluir
  110. levi, o fato de que o desejo e a fé humana é capaz de mexer no físico é bem documentada atualmente.

    pessoas se curam pela fé, aliás isso acontece muito nas igrejas neopentecostais e os líderes usam isso como aprovação de deus ao seu ministério e aí numa jogada de markting produzem slogans como "a mão de deus está aqui"; ou seja, não está lá, nem acolá, mas aqui.

    ou seja, acredito piamente que a consciência e o pensamento "criam" a realidade (evidente dentro de certos limites não muito bem estabelecidos pelos atuais estudos).

    e aqui não quero entrar em discussão com a gui se essa fé vem de deus ou não, quero apenas apontar o fato em si.

    ResponderExcluir
  111. “Edsinho meu querido, quando falar de exorcismo tire os terreiros de Edir Macedo e outros circos iguais, de campo”

    “Paradoxo dos paradoxos”, cara Guiomar

    Os “terreiros” de Edir Macedo estão superlotados, e são hoje uma “potência mundial”, justamente por prometer expulsar demônios das cabeças dos que acreditam que eles são forças de um lugar fora deles, denominada inferno.

    O Edir (e sua turma) conseguiu o software das mãos de Javé. Ou você foi traída pelo inconsciente ao igualar o poder de Deus da IURD à macumbaria? (rsrs)

    Javé já fez ver ao sacerdote Edir que o Código Internacional de Doenças Psíquicas (CID), é um código de relação de obras do demônio.
    O RR Soares diz todos os dias na TV: “Vamos orar para Deus expulsar os demônios da apendicite, da pedra na vesícula e nos rins, de Úlcera gástrica, do AVC, das hemorróidas, etc
    O RR foi longe demais na sua fábrica de produzir psicóticos: Uma noite dessas o programa dele foi às alturas na audiência: Ele levou um ex-prostituta para revelar o seu extraordinário milagre, anunciando, desavergonhadamente, que Deus tinha recuperado a virgindade dela.
    E não é que eu cheguei a pensar que ela iria mostrar uma foto de seu hímen recuperado (kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk)

    P.S.: Para ler o relato na íntegra sobre a “Recuperação milagrosa de hímen”, acesse o link abaixo:

    http://www.genizahvirtual.com/2009/07/rr-soares-viaja-na-maionese-e-libera.html

    ResponderExcluir
  112. Guiomar, a coisa tá preta pro seu lado. Como eu disse, nem Leví, nem Eduardo vieram ao seu socorro. Tudo bem, acreditar em Deus, mesmo que o Deus escondido e inenotável do Edu, já é dureza. Msa não peçoa que eles acreditem em demônios, esta crença ultrapassa os limites da salubridade mental, e o Levi deixou isto bem claro em seu comentário.

    O Hubner e o Rodrigo, assim como a Paulinha Evangélica, nem ousaram debater este assunto, o que confere inúmeros pontos a seu favor, pela bravura.

    Agora um detalhe:

    Você percebeu que não importa quem eu diga que não existe, Deus , ou o Diabo, eu sempre estarei errado na concepção cristã.

    Cheguei à lamentável conclusão de que Deus precisa do Diabo para poer existir, assim como o Diabo precisa de Deus, logo, um nunca vai poder destruir totalmente o outro.

    ResponderExcluir
  113. Altamirando, que descoberta é essa?

    Por que alguns textos têm tantos comentários?

    ResponderExcluir
  114. Leví, eu também ví o caso da mulher "re-virginada", e rolei de rir ao mesmo tempo em que me constrangí pela vergonha a qual ela foi exposta. (olha a ambivalência aí denovo)

    Quando um pastor, seja ele o "Pedir mais cedo", o Silas "Malacheia" ou o "Rouba Rouba Soares", induzem uma pessoa a acreditar que suas mazelas são fruto de possessões demoníacas, eles comentem a pior barbárie que um ser humano pode praticar com o outro, que é não permitir que este elemento procure um médico para se tratar. Se bem que:

    Na maioria dos falsos milagres propagandeados por eles, a pessoas não estava doente de verdade, ela apenas foi levada a acreditar que assim o estivesse.

    "Quem estava com uma dor no calcanhar e agora foi curada?"

    "Quem aí foi curado de um tumor que nem sabia que tinha?"

    "Quem aí estava sentido um peso do lado esquerdo do corpo mas agora passou?"

    "Deus me revela 3 pessoas que estavam com um aperto no peito, mas foi curado depois da oração da fé!"

    "Demônio pega todas as enfermidades que você colocou, e parta em retirada, em nome de Jesus"

    Todas essas são as frases mais conhecidas no meio protestante.

    Imaginem só, se os médicos perítos, ao periciarem uma doença até então catálogada pelo CID, dissessem:

    Não posso lhe conceder o benefício, é melhor você procurar uma igreja, pois, esta enfermidade é causada pelo demônio. Os cofres públicos viveriamk lotados.

    ResponderExcluir
  115. edson, na verdade, sendo demônios entidades reais(realidade espieitual) ou sendo apenas manifestações de doenças do psiquismo, a verdade é que os sintomas são os mesmos. as consequências estão aí, o que se pode fazer?

    ora, por que a psicanálise usa tanto a fala do paciente? por que através da fala, pode haver a catarse e quando vai ver, o doente está curado dos seus demônios. (levi me corrija se eu estiver falando besteira).

    e o que acontece nas reuniões neopentecostais (edson, não chama esse pessoal de protestante pois isso é um erro histórico...rs)? catarse. já viram as pessoas com as mãos na cabeça repetindo um mantra tipo "sai, sai, em nome de jesus..." ? os resultados tanto do tratamento psicanalítico como do tratamento espiritual podem chegar a soluções parecidas.

    e aí levi, falei mais besteira?

    assim como está provado que a fé/confissão/pensamento positivo religioso ou não pode curar certas doenças, da mesma forma uma "fé negativa" ou pensamento negativo pode produzir males físicos e psíquicos.

    não duvido que muitas pessoas são curadas no meio neopentecostal, tanto no físico quanto no psíquico (é certo que aí novas doenças psíquicas podem e quase sempre, aparecem)usando exatamente esses recursos naturais como a psicanálise faz com a fala.

    o altamirando está morrendo afogado neste mar normal de comentários que a confraria produz...kkkkkkk

    ResponderExcluir
  116. Edson Moura, vou citar apenas seu exemplo, apesar de não ser o único. Eu não disse que discordo, eu disse que entendi.
    Dia 7 de março às 20.45hs você comentou replicando para o Edu.
    Às 20.49hs você replicou para a Guiomar e o Levi,
    Às 20.54hs foi a vez do Eduardo novamente. Todos os três comentários em seqüencia e com apenas oito linhas. Se condensasse...

    ResponderExcluir
  117. Daria um comentário com oito linhas. He, he, he...

    ResponderExcluir
  118. Entendi Altamirando. Mas não lhe ocorreu que logo após eu postar um comentário replicando o Eduardo, e a medida que desenvolvia um comentário para a Guiomar e o Leví, uma nova ideia tenha surgido em minha cuca?

    Ao que me parece você está sugrenindo eu devesse excluir o comentário anterior e juntasse tudo num só.

    Quanto ao fato de eu não fazer uma réplica multipla, é que na maioria das vezes o outro não quer ler todo o comentário para que então chegue na parte em que é para si. Por isso respondo cada um particularmente, entendeu?

    ResponderExcluir
  119. altamirando, deixa de aumentar inutilmente o número de comentários e entra no debate!!!!! kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  120. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  121. Errata master:

    Onde escrevi "sugrenindo" (que porra é essa?rss) Leia-se "sugerindo".

    E "APROVEITANDO" ESTE COMENTÁRIO rss, Gostaria de dizer algo ao Eduardo.

    Tudo bem que algumas donças até são estirpadas pelos mantras repitidos na egrejas "NEOPENTECOSTAIS", mas você sabe que a psicanálise, além de usar a fala, muitas vezes se vê obrigada a receitar um fármaco ao paciente.

    Teve um caso recente de um goleiro alemão, vítima de uma profunda depressão, que jogou-se embaixo de um trem. Seu psicanalista ou psicólogo, não me lembro bem, reconheceu que perdeu o "time" (leia-se taime) para receitar um medicamento anti-depressivo.

    Conclusão: Uma vida se perdeu, por se acreditar que o problema era um "demônio interior", e que falar sobre ele, sanaria o problema.

    Abraços Edu!

    Ps: Altamirando, 22 linhas!kkkkkkkk

    Esquecí um detalhe: (aproveitando o comentário)

    Vou sair para comprar cigarros, mas volto em 5 minutos.

    ResponderExcluir
  122. estamos de volta com os demônios? biblicamente falando, é complicado chegar em um consenso, dado que ela é uma colcha de retalhos de várias visões de mundo, começando numa que nem em vida eterna acreditava, para aquela grega do mundo dualista, onde há o eterno embate entre o bem e o mal, a carne e o espírito. Por isso, desde a época que eu era crente, lembro-me que estes debates "citando a biblia" eram infindáveis.

    se estamos falando de eventos "sobrenaturais", considero superficial demais atribuir a "espiritos malignos" os diversos problemas mentais que atormentam as pessoas, e até mesmo fenômenos naturais desconhecidos. ainda hoje epilepsia é a explicação mais comum para "pessoas se debatendo". força muscular fora do comum, ou enrijecimento dos musculos (isso faz parte do foclore que gira em torno dos exorcismos, o "endemoniado" fica duro como um pau, ou muito forte) são, se não me engano, sintomas de problemas mentais. Levi, nos ajude!

    esse medo do desconhecido, e essa tendência de ver demônios onde não existem é culpa da nossa evolução. o filhote que tinha medo do escuro e não saia do colo de sua mãe à noite tinha mais chance de sobreviver do que aquele que não distinguia rostos na escuridão.

    fora a questão cultural. uma mente imersa em uma cultura que fala e vive de "espiritos", dependendo de quão sensivel é a estes assuntos, pode muito bem vir a "vê-los" e até "conversar" com eles. mas um indiano não verá um demônio cristão, assim como um assembleiano não conversará com shiva. cada um vê os demônios de sua cultura, da forma como lhe foi ensinado. interessante é que estes demônios, ou espiritos "do bem", só assustam quem acredita neles. basta não acreditar para que eles não tenham poder algum rsrs.

    vi a pouco tempo o filme "o exorcismo de emily rose", e logo após ouvi as gravações originais feitas pelo padre e os pais durante as sessões. o que eu vi foi uma criança atormentada, falando com uma voz rouca, e que assustou os ignorantes. a medicina tinha uma cura para ela? dificilmente. entretanto, podia oferecer uma qualidade de vida muito maior do que ela teve sendo "exorcisada" durante anos.

    eu acredito que a medicina um dia trará a cura de boa parte destas doenças. a religião, no entanto, está a milhares de anos tentando exorcisar o mundo destes "espíritos" e nunca conseguiu. a medicina aos poucos está, e com os "santos" remédios. não é a solução definitiva, mas é a melhor que temos.

    ResponderExcluir
  123. Gabriel, como sempre você chega com os os dois pés em nossos peitos. Confesso que já lí incontáveis artigos sobre a questão dos "demônios", mas você meu veio com um fato totalmente novo (para mim). Te juro cara, quase tive um orgasmo ao ler este seu comentário. Está aí a prova de que não importa o quanto já tenha lido, sempre haverá algo a prender.

    Pincei à moda Levítica este fragmento meteorítico:

    [...fora a questão cultural. uma mente imersa em uma cultura que fala e vive de "espiritos", dependendo de quão sensivel é a estes assuntos, pode muito bem vir a "vê-los" e até "conversar" com eles. mas um indiano não verá um demônio cristão, assim como um assembleiano não conversará com Shiva. cada um vê os demônios de sua cultura, da forma como lhe foi ensinado. interessante é que estes demônios, ou espiritos "do bem", só assustam quem acredita neles. basta não acreditar para que eles não tenham poder algum rsrs...]

    Por favor, peço aos administradors que ponham esta frase na coluna "pensamento do dia".

    Abraços Gabriel.

    ResponderExcluir
  124. Gabriel, neste ponto eu discordo de você. Mas não é uma discordância total, seria mais uma forma de complementar seu raciocínio. Veja, você diz:

    [...eu acredito que a medicina um dia trará a cura de boa parte destas doenças. a religião, no entanto, está a milhares de anos tentando exorcisar o mundo destes "espíritos" e nunca conseguiu. a medicina aos poucos está, e com os "santos" remédios. não é a solução definitiva, mas é a melhor que temos...]

    A religião, quando diz estar ajudando a curar as mazelas, nada mais faz do que piorar a situação dos doentes. Eu explico:

    Não se pode curar um esquizofrênico dizendo a ele que tem de mandar embora seu amigo "imaginário". O correto seria dizer a ele que o amigo é fruto de sua imaginação.

    Portanro não se pode curar um a pessoa que sente-se perseguida por demônios, dizendo a ele que os demônios foram expulsos, mas sim que eles não existem.

    A conclusão a que cheguei é que, mesmo que algumas pessoas se sintam melhores logo após a sessão de descarrego promovida pelo pastor, o "mal" continuará a rodeá-la, fazendo-a viver em eterna "diabofobia".

    Abraços Gabriel!

    ResponderExcluir
  125. Edson, mas foi exatamente o que eu disse: a religião está a milhares de anos tentando curar as pessoas na base da reza e "pensamento positivo" e não conseguiu nada até hoje. a medicina com poucos séculos já resolveu inúmeros problemas.

    ResponderExcluir
  126. Eduardo Medeiros, estou de camarote.

    Edson Moura, você não assovia e chupa cana simultaneamente?
    Não necessito entrar no debate, faço minhas as palavras do Gabriel Nagib em seu último comentário.
    " Os espíritos só assustam quem acredita neles, basta não acreditar para que não tenham poder algum". Não é um pensamento, é um pleonasmo. He, he, he..

    ResponderExcluir
  127. bill demorou mas apareceu. perfeita sua colocação que já me atormentava o raciocínio quando ainda era um crente fundamentalista mas que gostava de pensar sobre o que acreditava:

    " mas um indiano não verá um demônio cristão, assim como um assembleiano não conversará com shiva. cada um vê os demônios de sua cultura, da forma como lhe foi ensinado. "

    até aqui, a cultura fala mais alto.

    permita-me no entanto, discordar de uma coisa que também serve como comentário ao que disse o edson:

    curas de doenças através da fé já estão largamente confirmadas por experimentos com metodologia científica.

    quem crê e ora(falar com deus ou consigo mesmo via inconsciente), vive mais e melhor. quem diz isso não é só a bíblia ("quando calei meus ossos apodreceram" escreveu em angústia o salmista, demonstrando como problemas e angústias severas interiorizadas poderiam ser doentias) mas também os mesmos experimentos científicos que estão pesquisando os efeitos da fé e da oração no sistema imunológico humano.

    será que foi a evolução que nos presenteou com mais essa e nós teimamos em relegar tudo ao misticismo primtivo só por que é um tema da agenda religiosa?

    ResponderExcluir
  128. Ed, vc tem o link de alguma pesquisa destas?

    ResponderExcluir
  129. Gabriel, parecido com esse seu comentário eu não tenho, este é único que eu saiba.

    Mas vou dar uma pesquisada aqui nos meus documentos e conforme for encontrando te mando por e-mail.

    ResponderExcluir
  130. Obrigado a quem colocou a frase do Biel na coluna "pensamento do dia", mas faltou os créditos né? rss

    Edu, foi você?

    ResponderExcluir
  131. edson, conforme sua solicitação, taí o pensamento do dia do bill.

    bill, tenho lido sobre isso em revistas especializadas como Mente e Cérebro, publicação da scientific american. revistas nem tão especializadas assim também tem publicado sobre o tema como galileu e veja.

    na net, creio, que uma ajuda do doutro google poderia nos ajudar.

    ResponderExcluir
  132. Edson, minha pergunta foi ao Eduardo rsrs

    ResponderExcluir
  133. Eduardo, mais tarde vou pesquisar alguma coisa. O que lembro de ter lido é sobre o poder da meditação no tratamento de depressão (era o caso de ter um efeito parecido com um determinado remédio). Li também sobre uma pesquisa que constatou que não fazia diferença orar ou não por alguém, só se a pessoa soubesse que havia alguém orando/rezando por ela que fazia algum efeito, mas não chegava a curar.

    Desconheço qualquer pesquisa que prove que reza cure doenças como câncer, que se prove que é algo além dos 5% de remissão espontânea.

    ResponderExcluir
  134. bill, a oração e a meditação, segundo as pesquisas que tenho lido, são eficazes em problemas como depressão e principalmente doenças de origens emocionais mas há casos documentado de cura de câncer.

    eu mesmo conheço um senhor que foi curado de câncer depois de algumas "orações da fé". o médico tinha lhe dado no máximo 6 meses de vida. ele então, não voltou mais ao médico e resolveu esperar os desdobramento da situação em casa. convenhamos que a remissão espontânea nesse nível é raro, senão, impossível. pois bem, uns dois anos depois ele se encontrou com o seu médico que tinha lhe dado o veredito fatal; segundo ele, o médico gritou no meio da rua "louvado seja deus"...é, parece testemunho de crente. e é mesmo...kkkkkk

    por outro lado, tive uma tia que era crente e morreu de câncer e não faltou orações por ela e creio que ela mesma tivesse fé.

    então, há casos e casos nesses casos...rs

    ResponderExcluir
  135. Eduardo, você mesmo me apresentou dois casos que colocam uma enorme interrogação na validade da oração. Havendo oração para as duas pessoas, por quê uma foi curada e outra não? Uma das hipóteses a se considerar é que a oração não tenha qualquer papel relevante na cura dessa doença. Como não se provou que a oração tenha sequer esse poder, essa é a opção mais válida a se considerar. Tanto é que médico algum receita oração ao invés de quimioterapia, pois sabem que a segunda é dá as melhores chances aos pacientes.

    ResponderExcluir
  136. Levi, não existe paradoxo, você sabe e todo mundo sabe que muitas pessoas ganham dinheiro para fingir que tá possesso e impressionar o público com o "poder" dos líderes da universal, assim atrairem mais e mais adeptos que significa mais e mais grana.

    Por outro lado, quando pessoas realmente estão possessas, vejam como eles agem escandalosamente, humilhando a pessoa publicamente.

    Levi, ouça um pouquinho mais o que se faz no circo do Edir, que você vai ver que os procedimntos não divergem dos da macumbaria.
    Só que na macumba, eles acreditam no que fazem e no Edir eles acreditam na grana que virá, embora eu creio que mesmo lá dentro tem muita gente séria, que não conseguiu ver.

    Beijo meu amigo.

    ResponderExcluir
  137. Levi, uma mulher receber um novo hímens, me POUPE.

    ResponderExcluir
  138. paz Cristo.
    gostei desta postagem e queria reproduzi-la em meu blog se o irmao permitir.

    ResponderExcluir
  139. Conflitando na internet

    Após enviar algumas criticas ao fanatismo religioso, recebi do Sr. Eder uma resposta deveras interessante, disse-me ele que eu sou o perfeito descendente do macaco pela minha não crença no criacionismo, alem disso disse-me que eu sou orientado pelo diabo.
    Abaixo minha resposta.

    Resposta a Sr Eder.
    Gostei dessa, é o diabo que tem me orientado. Se for assim este diabo é um sujeito muito bom, pois ele me encaminhou pela vida sempre agindo honestamente, trabalhei durante 60 anos ininterrupto criei três filhos todos honestos e trabalhadores, não devo nada a ninguém tenho bons amigos, enfim tenho uma vida normal. Já vi religiosos tementes a Deus e adoradores de Cristo levando uma vida torta, abandonando seus filhos e agindo com desonestidade. Acreditar em Deus e em Cristo, ou não acreditar não tira os méritos de ninguém, conheço ateus cheios de qualidades e conheço religiosos cheios de defeitos. Nós seres humanos somos todos, a essência do egoísmo, da maledicência, do orgulho, da hipocrisia e de muitos outros defeitos, só que a maioria não admite esta verdade, meu lema é (Prefiro não ser nada, a ser falso cristão) Paulo Luiz Mendonça.

    ResponderExcluir
  140. SERVIDOR DE DEUS

    No tempo da idade média
    No deslumbre das cruzadas.
    A mão segurando a bíblia
    Era a mesma empunhando a espada.

    Hoje na idade moderna
    Sem muitas guerras sagradas.
    A mão segurando a bíblia
    É a mesma que explode a granada.

    Não sou muito inteligente
    Nem mesmo sou bem dotado.
    Mas mão que é servente a Deus
    Não pode servir o diabo.

    Belas artes feitas em barro
    Que faz do mestre um oleiro.
    Só obras a nós creditadas, nos
    nos faz cristãos verdadeiros.

    Não adianta ir a igreja,
    Com esta bíblia não mão.
    E preciso ter no peito,
    Muito amor no coração.

    Deixei de hipocrisia,
    Não tenho bíblia na mão.
    Eu prefiro não ser nada
    Do que ser falso cristão.

    Esta poesia foi extraida do livro Crônicas indagações e teorias, autor Paulo Luiz Mendonça editora Scortecci.

    ResponderExcluir
  141. Coisas misteriosas.

    Temos no nosso planeta e em todo o universo um grande mistério, todos nós seres humanos sabemos disso.
    Sigam meu raciocínio, o computador não deixa de ser também um grande mistério ou no mínimo algo misterioso. O que este aparelho faz, com as transmissões de dados, efetuações de cálculos matemáticos com extrema precisão e todo tipo de comunicação com a rapidez de um raio, faz nos parecer que há nele alguma coisa divina, mas na verdade é uma coisa perfeitamente natural. O computador é uma maquina feita por seres humanos, sem a interferência de nenhuma entidade celestial. Naturalmente nós leigos no assunto não conseguimos entender o funcionamento deste magnífico aparelho, mas um técnico em informática pode perfeitamente explicar com detalhes seu funcionamento.
    Voltando aos mistérios do universo e também do nosso planeta, todo este mistério, deve ter uma lógica em seu intrincado funcionamento, mas até o presente momento não temos nenhum técnico em mistérios do universo para nos dizer o que está por traz de tudo isso. Por este motivo olhamos para todo este intrincado conjunto de estrelas e planetas e não conseguimos entender nada absolutamente nada. Tentamos entender a natureza com sua exuberante flora e fauna e não conseguimos entender a sua formação tão meticulosa.
    A ciência tem suas explicações, que até certo ponto são aceitáveis, pois foram feitas através de incansáveis pesquisas durante muitos séculos. Enquanto a ciência tem lutado com afinco para descobrir o que há por traz deste intrincado mistério, as religiões, simplesmente sem nenhum esforço, sem nenhuma pesquisa apenas acreditando em livros antiqüíssimos. Baseando nos relatos destes livros, os quais nem sabemos se são dignos de crédito. Os teólogos nos dão explicações com tanta segurança como se eles tivessem uma visão diferenciada dos outros seres humanos, mas na verdade as explicações das religiões, são inexplicáveis porque o mistério está alem da nossa imaginação, alem do nosso conhecimento e alem da nossa compreensão.
    Acredito que a ciência, somente a ciência, poderá desvendá-lo, porque penso assim, nas ultimas décadas os meios científicos estão tão avançados em seu progresso, progresso este que me leva a acreditar na possibilidade da tecnologia desvendar este grandioso mistério que nos envolve.

    Paulo Luiz Mendonça. Autor do livro Crônicas Indagações e Teorias. Editora Scortecci.

    ResponderExcluir
  142. Amar a Deus sobre todas as coisas

    Amar a Deus sobre todas as coisas e o seu semelhante como a ti mesmo. Esta frase é muito interessante, todos aprovam, batem palmas, acham á maravilhosa. Tudo parece muito fácil, mas não é. Amar a Deus não há nenhuma dificuldade, porque Deus é um ente imaginário e subjetivo, portanto não tendo presença física, não se pode vê-lo, nem tocá-lo, nem se pode invejá-lo e nem há possibilidade de disputar nada com seu poder. Mas quando se trata de amar o nosso semelhante ai a coisas pega, fica difícil, para não dizer impossível. Alguém já parou para pensar nesta frase e seus efeitos negativos, porque negativos, porque está claro o que é destacado nisso é nossa hipocrisia. Se perguntarmos a todos os seres humanos principalmente os religiosos se eles amam a Deus a Resposta será bem clara, amamos de todo coração, se perguntarmos aos mesmos indivíduos vocês amam seus semelhantes como a ti mesmo, se for uma resposta sincera, a mesma será, depende de qual semelhante. A frase em foco é muito interessante, mas se tratando de seres humanos ela jamais será aplicada ao pé da letra, salvo as pouquíssimas e honrosas exceções.
    A hipocrisia assola por todo planeta terra, principalmente os que se dizem cristãos, os quais se mostram tão felizes de seguir a cristo, mas não seguir seus ensinamentos ao pé da letra, porque isso fica difícil para não dizer impossível.
    Podemos ser religiosos. Mas sem muita euforia, devemos ter um pouco mais de humildade, um pouco mais de amor ao próximo e, sobretudo saber que ninguém será salvo só porque segue uma religião. Só serão salvos aqueles que levarem uma vida digna, honesta, sobretudo ter pureza de coração, deixando de lado o orgulho, a ganância e a hipocrisia. Paulo Luiz Mendonça.



    Coisa que não damos valor.

    O que seria esta coisa a qual não damos valor.
    A explicação é bem simples, existe um Deus único o qual somos dependentes. Dizem os que acreditam que ele nos protege, nos orienta e nos encaminha pela vida. A maioria acha que estando com Deus não necessita de mais nada, tudo está resolvido.
    Fazendo minhas reflexões cheguei á seguinte conclusão existe uma coisa superimportante que nos ajudam a viver, as quais somos seus dependentes. Atentem para isso, nós seres humanos não podemos viver nossas vidas sem a presença dos nossos semelhantes, pois ninguém se basta a si mesmo. Nós sempre estaremos dependendo uns dos outros, isso é facilmente entendível. Só que nós não damos o devido valor ao nosso próximo, se esquecendo o que ele representa para nossa sobrevivência. Eu poderia enumerar aqui, quem precisa de quem, mas isso é desnecessário, pois todos sabem qual o tamanho da importância dos nossos semelhantes. Salvo as raras e honrosas exceções, nós não conseguimos dar-lhes o valor merecido porque somos impedidos pelo nosso egoísmo. Hipocrisia, falsidade, individualismo, maledicência e muitos outros defeitos os quais são heranças malditas enraizadas no nosso intimo. Nós humanos principalmente os religiosos Dão uma tremenda importância a Deus e se esquecem que nossos semelhantes são nossos irmãos, portanto são filhos de Deus e merecem o mesmo tratamento, nós não podemos tratar bem o pai e esquecer dos seus filhos. Vamos gente: vamos distribuir melhor nossa atenção, nosso amor e nossa solidariedade.
    Sendo assim os que adoram a Deus sobre todas as coisas, procure amar o seu próximo como a ti mesmo, de verdade não da boca para fora com falsidade, sobretudo, dar-lhe a importância merecida, pois ele é tão importante quanto Deus. Se nós ficarmos isolados neste planeta nem Deus poderá nos salvar. A vida só é possível quando estivermos vivendo em grupos, tribos, comunidades ou nações, não há como viver isoladamente.
    Paulo Luiz Mendonça. Autor do livro Crônicas, indagações e teorias. Editora Scortecci.

    ResponderExcluir

Apenas duas regrinhas:

1. Aos visitantes: proibido spam (propaganda de seus blogs neste espaço)

2. Aos membros: não faça flood (vários comentários seguidos sem relação com a respectiva postagem).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...