quarta-feira, 24 de agosto de 2011

a evangelica, o ocultista e o ateu

antes de continuar, leiam o seguinte artigo: contingencias, coincidencias e supertições

existe um ocultista famoso na internet, que um dia contou algo que ocorreu com ele, que o fez mergulhar a fundo no seu mundo. sua história não difere muito de qualquer história de "acontecimentos" "sobrenaturais" de tantas outras pessoas, de tantas outras religiões, que as usam como fator de aceite, para sua crença.

era algo assim:

após participar de um ritual onde vários espíritos se manifestaram, no qual ele fez um comentário sobre estar protegido o suficiente, pois determinada entidade não o viu, quando voltava para casa, seu carro parou no meio da estrada, e um outro carro parou para ajudá-lo. ficou então surpreso pois as iniciais da placa do carro do estranho eram as iniciais da entidade que ele zombou. no mesmo instante, um colega que participou do mesmo ritual, ligou para ele dizendo que a vidente havia chamado-o de volta. já de volta, ela deu o recado "a entidade manda dizer que te vê sim".

relatos parecidos podem ser extraídos de praticamente todas as religiões. provavelmente qualquer pessoa tem uma história "misteriosa" como esta para contar.

mas então por que estas "evidências" não comprovam a existência de seres mágicos, sobrenaturais, deus, espíritos, poderes telepáticos, bules voadores, unicórnios, jesus, politicos honestos e outros seres míticos...?

para quem não conhece, estes testemunhos são conhecidos como evidências anedóticas e valem tanto quanto um peido. exatamente por que é possível encontrá-las para qualquer visão de mundo que se queira.

a evangélica que orou para Jesus fazer o ônibus chegar mais cedo tem a prova que precisa para sua crença, assim como o espírita que falou com sua tia morta tem para a sua, e um índio invocando os deuses da floresta também.

enfim, ou todas as visões de mundo estão corretas, e neste caso a realidade se molda para cada mente, sendo como uma soma das projeções de todas as mentes, o que parece mais um delírio, ou então não devemos aceitar tão facilmente qualquer relato, e aceitar somos facilmente sugestionáveis...

ok, falei do ocultista, da evangélica mas, e o ateu, o que tem a ver com isto tudo?

ora, quando eu li o artigo, e ter ouvido, logo após, ao ir para o ponto de ônibus a evangélica contar no telefone exatamente o caso que eu tinha lido, me senti tentado a selecionar aquela experiência para comprovar minha tese de mundo. por mais que isto não fizesse sentido (pois minha tese é que não existe sobrenatural, então um evento sobrenatural não poderia comprová-la), por um segundo esbocei um sorriso por causa da contradição. quis usar a experiência, mas percebi a armadilha, me virei e saí correndo dali (ok, brincadeira, permaneci parado).

mas... e a experiência do ocultista, ela parece convicente, certo?

basta colocar em perspectiva. existem milhões de pessoas realizando rituais mágicos neste momento. se apenas um destes passar por algo "misterioso" logo após participar disto, ele espalhará e propagará isto pelo resto da vida. a partir daquele momento, muito provavelmente qualquer evento menor, qualquer mínima coicidência será utilizada como prova cabal de que sua visão de mundo está correta. não importa se todos os dias ele recebe um milhão de informações diferentes (internet, tv, musicas, livros, relacionamentos), o que importa é aquela única informação que parece confirmar o que ele quer.

"mas aconteceu comigo! comigo, logo eu! se fosse com outra pessoa, até vai, mas comigo? ora.. sou muito especial, isso só pode querer dizer alguma coisa!"

NÃO, você não é especial. você é um entre 6.7 bilhões de seres humanos, que é uma entre 8.7 milhões de espécies atuais, que não chegam a 20% de todas as espécies que já viveram. e entre estes 6.7 bilhões de seres humanos, existem inúmeras religiões (Worldwide_Religion), e dentre estas pessoas, a maioria sonha, troca informações, passa por todo tipo de situações. uma boa parte sonhará com um evento que ocorrerá, não por que têm algum poder especial, mas por pura sorte (não é possível que, dentre bilhões de pessoas, ninguém sonhe com um terremoto, um tsunami etc). até um ateu pode estar neste grupo, mesmo "sem querer". e como milhões de pessoas, ou até bilhões, consultam oráculos frequentemente, uma boa parte delas terá previsões confirmadas ao longo de sua vida. e não só isto: somos todos parecidos, temos sonhos parecidos, nos organizamos de forma parecida, temos personalidades parecidas. não é de se estranhar que muitos consigam prever nossos movimentos, dizer quais nossas angústias, revelar nossos sonhos. pois é, somos assim, tão óbvios.

e existe mais um fator equalizador: ao entrar em um grupo, seja por vontade própria, seja à força (como no cristianismo, no islamismo etc), é comum que modemos nossos pensamentos, nosso agir, o jeito de falar, os sonhos, os erros, as esperanças aos daquele grupo. nada mais fácil do que entrar numa igreja evangélica e advinhar os problemas da maioria das pessoas ali, pois todas se tornam esteriótipos faceis.

por fim, me parece óbvio que, em um mundo onde a internet domina, e troca-se mais informação do que nunca, onde tudo se conecta, coincidências são inevitáveis.

ah! tem uma pegadinha no texto. releia com atenção.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...