domingo, 23 de setembro de 2012

A verdade fundamental



A existência de uma ordem moral que a humanidade possui, tem algum sentido ou propósito superior. Talvez a origem deste propósito seja algo que possa ser chamado de Deus. Há os deuses que povoaram a história humana, deuses da chuva, da guerra, dos trovões, deuses criadores, deuses para todos os fins como o Deus Abraãmico. Estes deuses existem na mente das pessoas e, provavelmente, em nenhum outro lugar. Então, alguns religiosos que gostariam de ser mais modernos, criaram um Deus à sua imagem e semelhança, sobre humano, com uma mente parecida com a nossa com uma abrangência muito maior, fruto de sua própria antroponomia. Um Deus onisciente, onipotente e com o bônus de ser infinitamente bom. Este  não é o único tipo de Deus que existe.
Os cientistas elegeram uma pequena partícula como sendo uma realidade científica absoluta, o elétron. Mas os elétrons são, uma partícula ou uma onda?  Concebê-los com apenas uma das fórmulas seria incompleto, embora concebê-los como sendo ambas, seria inconcebível...  Os elétrons são apenas a ponta do iceberg. Em geral, o mundo quântico se comporta de maneira que não faz sentido para nossas mentes. Vários aspectos da física evidenciam a propriedade a qual Héinz Pagels chamava de estranheza quântica. A falta de conhecimento para entender alguma coisa com exatidão não significa que esta coisa não exista. Ao que parece, algumas coisas são só inconcebíveis, mesmo assim são coisas. O mesmo princípio rege as religiões onde todas são inconcebíveis aos olhos das outras. Muitas se comportam evidenciando o que Richard Dawkins chama de caos cristão.
Embora os cientistas sustentem que conceber sem precisão a realidade subatômica seja uma forma válida de conhecimento, muitos destes físicos não aprovariam se tentassem adotar artifício semelhante em um contexto teológico.
Ora!... Qual é, exatamente, a diferença entre a lógica da crença dos físicos nos elétrons e a lógica numa crença em Deus?   Cientistas percebem padrões no mundo físico tais como no comportamento da eletricidade, postulam uma origem para este padrão e chamam esta origem de elétrons.
Aquele que acredita em Deus, percebe padrões morais no mundo físico, postula uma origem para estes padrões e o chama de Deus. Deus é o desconhecido que dá origem à ordem moral, é o responsável moral por a vida ser sensível, passível de bons e maus sentimentos. Deus deu a cada ser humano um eixo moral em torno do qual organizamos nossas vidas se assim o quisermos.  Sendo humanos, sempre concebemos esta origem de ordem moral de maneira erradamente grosseira mas, poderíamos dizer o mesmo acerca de conceber elétrons. Logo, nossa atitude diante da origem de ordem moral será a mesma que a dos cientistas diante da origem subatômica de ordem física, como um elétron. Com uma diferença: O embasamento científico não é abstrato.
Se não podemos entender com clareza o que é um elétron, quais seriam as nossas chances de entender Deus com clareza?   Mas se dissermos que acreditamos em Deus mesmo reconhecendo que não temos uma ideia clara do que é Deus e que não podemos provar se ele existe por si mesmo, então nossa crença não tem fundamentos. O homem criou este Deus.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...