domingo, 24 de outubro de 2010

A morte em dois momentos



Não tenho medo da morte, tenho pena em morrer, pois o que é a morte, se não um acontecimento natural da própria vida? Ou será que a morte seria a negação da própria vida? Mas o que seria da vida se não fosse à morte? Pois não seria a morte quem alimenta a vida, ou será que é justamente o contrário?

Mas tenho pena em deixar esta vida. Vida que vivi, às vezes chorando, às vezes rindo, às vezes caindo, às vezes se levantando, mas em todo instante, uma vida de muitos instantes, que por serem instantes, podem ser transformados em eternos.

Eternos momentos de instantes eternos, de lembranças, de acontecimentos repletos de insignificância, mas ainda sim, carregados de vida, de beleza, pois o que é um momento diante de uma eternidade? Mas o que é uma eternidade diante de um momento?

Enquanto caminhamos rumo ao abismo da morte, vemos nossa vida a cada dia se esvaindo tal como areias que tentamos segurar, mas que escape entre os nossos dedos.

Não podemos reter, segurar a vida, pois a morte, ah a morte, essa musa tão assustadora, mas ao mesmo tempo tão atraente, às vezes da vontade de morrer logo, só para saber como é experimentar a morte.

Mas a morte não se experimenta na primeira pessoa, sempre é no outro que sentimos o que é morrer, pois quando a morte chega, ela com sua frieza e calor, nos leva indiferente ao nosso desejo de vida, mas neste momento não estaremos sendo mais, pois quando a morte é, nós não somos, mas enquanto estamos sendo, ela não pode ser.

Toda nossa vida é feita de momentos, quem sabe este não é meu último momento? Ultimo momento de respiração, ultima vez que vejo o por do Sol, o brilho das estrelas, as ondas do mar, ultimo momento que beijo minha amada, que brinco com meu filho, que leio um livro, que escrevo um texto, que assisto um filme, que ouço uma musica, que como aquela macarronada, que ando de bicicleta, que ouço o cantarola dos pássaros, que corro descalços pela praia, que durmo, que acordo, que abraço, que sorrio, que choro, que me emociono, que vivo, que .......morri!

Toda morte é a última morte de todo ser.

Por isso, o que dói não é a chegada da morte, mas a sua longa espera, espera esta, que no fundo ninguém espera, mas sabe que ocorrerá, quem sabe não seja por isso que a maioria das pessoas não gosta de pensar na morte, principalmente na sua própria morte, pois a morte é a única certeza infalível da vida.

Ou será que na verdade, não gostamos de pensar na morte, porque ela é um enigma? Como explicar a morte, se nunca morremos, e quando morremos, não podemos voltar e dizer como é?

Talvez seja por isso, que a única maneira de termos uma idéia, é se passarmos pela quase morte, pois todas as pessoas que já tiveram a sensação de quase morrer, são em sua maioria, mas conscientizadas pelo valor da vida....será que temos que passar pela quase morte, para podermos valorizar a vida?

Tantas perguntas sobre a morte que nos deixam sem palavras, pois a morte é tal como o Sol do meio-dia, que em seu esplendor não pode ser contemplado, olhado, observado, descrito em palavras.

Morte, morte, como você é ao mesmo tempo odiada e querida...odiada pois leva quem nós amamos, não importa o quanto estejamos preparados, quando a morte chega para quem nós amamos, sempre ela choca, dói, é irresistível sua presença, não há como não chorar, não sentir tristeza, pois toda morte é singular, sempre são todos o primeiro a morrer.

Mas é querida, pois já pensou se nós fossemos eternos?
Não precisaríamos fazer nada, tudo perderia o seu valor, pois teríamos todo tempo do mundo para fazer qualquer coisa que não precisaríamos mais fazer nada.
Instante só é instante, pois é instante e não eterno.

Por justamente sabermos que a vida é breve, devemos viver com a maior intensidade possível, fazendo de cada momento nosso último momento, sendo nós, nós mesmos e não o que os outros querem que nós sejamos, pois quando a morte chegar, será a prova de que vivemos a existência.

Bem ou mal, isto dependerá de como vivemos nossa existência, pois tal como foi à vida assim também será a morte!



Por: Marcio Alves

Fonte do texto: http://outroevangelho.blogspot.com/2010/10/morte-em-dois-momentos.html


Fonte da imagem: http://aromacafe-cris.blogspot.com/2009/07/morte.html
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...