segunda-feira, 12 de setembro de 2016

A falsidade do barulho



"Em um estado totalitário não se importa com o que as pessoas pensam, desde que o governo possa controlá-lo pela força usando cassetetes. Mas quando você não pode controlar as pessoas pela força, você tem que controlar o que as pessoas pensam, e a maneira típica de fazer isso é através da propaganda (fabricação de consentimento, criação de ilusões necessárias), marginalizando o público em geral ou reduzindo-a a alguma forma de apatia." (Noam Chomsky, 1993)

Está faltando pouco mais de vinte dias para as eleições municipais e o que os políticos corruptos mais fazem para se perpetuar no poder é o uso de um marketing sujo e manipulador. 

Uma das técnicas muito usadas trata-se de investir na aparência causando algum barulho nos locais em que os candidatos se apresentam ao público. Para isso, são organizadas grandes carreatas e passeatas (geralmente com um pessoal pago para balançar bandeiras ou distribuir folhetos) nas quais se vê bastante som, o abusivo foguetório e tudo mais o que se encontra ao alcance do dinheiro a fim de causar a ilusão das massas. E, como bem comentou uma amiga minha pelo WhatsApp, acerca da contraventora pirotecnia nos comícios,

"Quando eles chegam soltando fogos é pra dar a ilusão de comemoração, festa etc. É a técnica de te dizer que traz algo bom, evitando deixar o candidato 'desarmado' para encarar o público. Normalmente trazem um discurso motivador, positivo e falam de vitória em vez de um discurso sério e realista sobre metas, dados, possibilidades."

Se bem pensarmos, esse fingimento de que o candidato já teria ganho a eleição baseia-se no fato de que muitos cidadãos cultivam uma equivocada atração pelo vencedor, o mesmo que, pelos próximos quatro anos, será o algoz da população. E, nessa construção manipuladora do imaginário coletivo, esconde-se qual a real situação do político, muitas das vezes um "ficha suja" cuja candidatura nem ao menos teria sido deferida pela Justiça por causa da inelegibilidade.

Falta nessas horas uma dose de senso crítico à sociedade! Pois devemos indagar de onde estaria vindo tanto dinheiro para a organização do espetáculo feito com a finalidade de distrair o eleitor?!

Por que investem tão alto para ganhar um governo se os salários de um prefeito, por exemplo, por mais alto que seja, não cobre os gastos reais de uma campanha?!

Chegou o momento de despertarmos a consciência do cidadão nessas eleições a fim de que as pessoas comecem a perceber o que há por trás das campanhas milionárias. Pois é preciso que o eleitor passe a nutrir uma desconfiança contra os candidatos que andam gastando muito dinheiro em material e empregam um número elevado de colaboradores pagos pois, certamente, encontram-se comprometidos com empresários que depois sangrarão os cofres públicos em licitações fraudulentas.

Acredito que, quando a população compreender os acontecimentos de uma forma crítica, teremos eleições mais limpas no Brasil, com menos abuso de poder econômico e/ou político, assim como mais igualdade de oportunidade entre os candidatos. E aí, por mais que seja válido combater por meios legais essas manipulações, o melhor caminho é fazer com que a consciência do povo se torne imune a tudo isso.


OBS: Imagem acima extraída de http://paginasimoesfilho.com.br/ultimas-noticias/mp-proibe-carros-de-som-dos-politica-nas-pracas-de-simoes-filho
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...